Um olhar sobre o mundo Português

A edição desta semana dá voz  aos insurrectos, os que saem fora da norma e seguem a sua própria voz, como os meus convidados. 

h facebook h twitter h pinterest

Sopas do espírito santo

Escrito por 

A Ronda dos Quatro Caminhos, lança um novo trabalho dedicado à música tradicional dos Açores, com edição da Ocarina. É o 14º disco da carreira da Ronda, na continuação das últimas grandes produções editoriais, "Terra de Abrigo" e “Tierra Alantre".

O disco foi composto e pensado com base na Orquestra Regional Lira Açoriana, uma orquestra de instrumentos de sopro e percussão, que integra jovens músicos das bandas filarmónicas das várias Ilhas e que participa em todos os temas, todos eles populares, com orquestrações dos músicos da "Ronda dos Quatro Caminhos”. Além da orquestra, participam no disco vários coros polifónicos e músicos populares e eruditos de todas as Ilhas do Arquipélago, num total de mais de 300 músicos e cantores.
Neste trabalho, a música regional dos Açores é vista sob a perspectiva das bandas filarmónicas que têm um papel de grande relevo e destaque na vida comunitária dos Açores, quer pela formação musical que proporcionam à juventude, quer pela participação nas festividades religiosas e populares. O mesmo acontece com a harmonia coral religiosa e pagã, através dos coros polifónicos, geralmente ligados à celebração litúrgica, mas também com um repertório clássico e popular, tendo-lhes sido dada neste trabalho, a par com a orquestra, a relevância que na verdade têm e certamente merecem. Depois a viola da terra, com as suas variações e diferentes maneiras de tocar, certamente o instrumento mais representativo da tradição popular, participa por direito próprio neste disco.
Para os músicos da Ronda, Mário Peniche, Pedro Fragoso, António Prata, Carlos Barata, João Oliveira, Pedro Pitta Groz, o problema maior foi "em relação aos vários grupos e formações de danças e cantares populares, guardiães maiores do cancioneiro popular, dos cantadores dos vários estilos e canções populares, dos tocadores de instrumentos também relevantes na música tradicional, como o violino, o bandolim, o violão, etc., que pessoas e agrupamentos convidar, numa terra de brilhantes músicos e instrumentistas? Já sobre o repertório, como escolher uma dúzia de cantigas numa terra onde se respira música popular e com um cancioneiro tradicional tão vasto e variado? A escolha foi assim, como certamente podería ter sido outra dúzia diferente e mais outra e outra. Quantos discos haveria que fazer?".

 

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

FaLang translation system by Faboba

Podcast

Eventos

loading...