A Look at the Portuguese World

 

h facebook h twitter h pinterest

Portugal ocupa o 27ª lugar no GSPI

Written by  Cristina Masipe fts direitos reservados

 

O nosso país está entre os 30 países mais influentes do mundo segundo a Brand Finance. Subindo três posições no Global Soft Power Index (Índice Global de Poder Suave 2024) (GSPI). Uma melhora significativa, devido as percepções em termos de reputação, educação e ciência, ultrapassando a média internacional.

As posições de Portugal nos pilares mais pontuados do ranking diminuem em 2024, mas demonstra uma melhoria significativa nestas métricas em comparação com 2020.
Os Estados Unidos, o Reino Unido e a China são as marcas-país mais influentes. A fechar o top 5 estão a Alemanha e o Japão. A ascensão da China deve-se à sua reputação de nação tecnológica e inovadora.
A quinta edição do relatório Brand Finance inclui, pela primeira vez, os 193 países membros da Assembleia Geral das Nações Unidas.
Os conflitos militares (hard power) prejudicam o soft power, a Rússia, a Ucrânia e e Israel descem na classificação.
Os Estados Unidos da América e o Reino Unido são as nações mais influentes do mundo em termos de soft power, de acordo com um novo relatório da Brand Finance, a principal consultora mundial de avaliação de marcas. A China ocupa o terceiro lugar, um salto significativo no Índice Global de Soft Power de 2024, à medida que a COVID se desvanece da consciência social.

A Brand Finance publica o GSOI com base num inquérito realizado a mais de 170 000 inquiridos de mais de 100 países para recolher dados sobre as percepções globais dos 193 Estados membros das Nações Unidas. Graças ao âmbito do inquérito, o Índice é o estudo mais abrangente do mundo sobre as percepções das marcas nacionais e fornece uma análise aprofundada da evolução do soft power à medida que as nações enfrentam grandes mudanças e desafios globais.

O soft power é definido como a capacidade de uma nação para influenciar as preferências e os comportamentos de vários actores na cena internacional, quer sejam Estados, empresas, comunidades ou públicos, através da atração e da persuasão e não da coerção. Cada país é avaliado em 55 parâmetros diferentes para obter uma pontuação global de 100 e é classificado do 1º ao 193º lugar.

Pilar Alonso Ulloa, Directora-Geral da Península Ibérica e América do Sul, comentou, "Portugal é um país reconhecido internacionalmente, com uma elevada Familiaridade (7.1/10) e uma forte Reputação (6.9/10). No entanto, enfrenta desafios em áreas críticas como a Governação, as Relações Internacionais e os Negócios e Comércio, que têm impacto na perceção global da sua influência. Uma comunicação eficaz sobre as suas realizações e contribuições nos domínios da economia, da cultura e dos negócios será fundamental para progredir na classificação. Embora Portugal tenha melhorado os seus resultados nos últimos cinco anos, não consegue destacar-se acima da média internacional, o que o impede de continuar a aumentar a sua influência."

Portugal sobe 3 posições no ranking para o 27º lugar

Portugal posiciona-se como uma das 30 melhores marcas de soft power. O estudo de mercado reflecte um aumento acima da média nos pilares da Reputação (0.3 pontos para 6.9/100) e Educação & Ciência (0.3 pontos para 3.2/10). Nos últimos 4 anos, o nosso país realizou várias campanhas sob o lema "Melhor Destino do Mundo" para promover o país, cada ano focando um aspeto diferente: 2021 como um dos melhores destinos turísticos do mundo, 2022 como um destino seguro e sustentável, 2023 focando o país como um destino para eventos e reuniões, e em 2024 como um destino para o turismo de aventura e desporto. Todas estas campanhas têm tido um impacto positivo na promoção da marca Portugal, contribuindo para um aumento do turismo e do investimento estrangeiro.

Portugal tem realizado diversos eventos e projectos que têm contribuído para o crescimento da métrica Educação e Ciência. Estabeleceu colaborações de investigação com instituições e centros de investigação de renome internacional em áreas como a biotecnologia, a inteligência artificial e as energias renováveis, como o Instituto de Medicina Molecular (IMM), o Instituto Superior Técnico (IST), o Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) ou o Centro de Física Teórica e Computacional (CFTC). Estas colaborações e projectos conjuntos têm reforçado a reputação de Portugal como um centro de excelência científica e contribuído para o avanço do conhecimento em várias áreas de investigação.

Evolução do soft power de Portugal nos últimos cinco anos

Embora com valores um pouco mais baixos, o país apresenta um forte padrão de crescimento em termos de influência internacional semelhante ao da vizinha Espanha. O país melhorou o seu soft power, passando de uma pontuação de 40.6/100 em 2020 para 50.1/100 em 2024. Isto deve-se ao facto de ter melhorado as pontuações em quase todos os pilares ao longo dos últimos cinco anos. No entanto, quando comparado com os restantes países, este crescimento não se reflecte nas classificações das métricas, chegando mesmo a diminuir em algumas delas.

Em termos de pontuações, o país português apresenta o maior crescimento nos pilares Familiaridade (4.1 em 2024 vs. 6.2 em 2020), Influência (4.6 em 2024 vs. 3.7 em 2020), Negócios e Comércio (5.4 em 2024 vs. 3.5 em 2020), Educação e Ciência (3.2 em 2024 vs. 2.2 em 2020) e Media e Comunicação (3.7 em 2024 vs. 2.8 em 2020).Europa es el continente que mejor puntúa a Portugal

Os países europeus classificaram Portugal, de um modo geral, de acordo com a sua posição no ranking, ou mesmo mais favoravelmente, situando-o entre 20 e 23. Na América Latina, as classificações são bastante variáveis, oscilando entre 20 e 34. Os países da América do Norte também atribuem classificações bastante positivas, com os Estados Unidos a classificarem Portugal em 28º lugar, tal como a Austrália, enquanto o Canadá e o México consideram que Portugal deveria estar em 24º lugar.

No entanto, Portugal enfrenta desafios em África e na Ásia. Dois países destacam-se por classificarem Portugal muito favoravelmente. O primeiro é Angola, que considera que Portugal deveria ocupar o terceiro lugar. As relações económicas e comerciais entre Angola e Portugal têm sido historicamente fortes, sendo Portugal um dos principais parceiros comerciais de Angola. O segundo país é o Brasil, que ocupa o quinto lugar. As relações entre o Brasil e Portugal são históricas e profundas, com fortes laços culturais, económicos e diplomáticos. Ao longo dos anos, essas relações passaram por altos e baixos e momentos de tensão, mas, em geral, têm sido marcadas pela cooperação e compreensão mútua. Brasil e Portugal mantêm uma forte relação económica e comercial. Portugal é um dos principais investidores estrangeiros no Brasil, e as empresas portuguesas têm uma presença significativa em sectores como a banca, as telecomunicações e a energia. O Brasil, por sua vez, é um importante destino de exportação dos produtos portugueses.

A classificação completa, a metodologia, os gráficos, os comentários, as contribuições de especialistas e as entrevistas aprofundadas sobre marcas nacionais estão disponíveis no relatório do GSPI. O estudo foi inaugurado hoje no Global Soft Power Summit. A agenda da Cúpula inclui um discurso de abertura do ex-primeiro-ministro do Reino Unido, Sir John Major, e um painel de discussão com a primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska.

https://brandirectory.com/softpower/

Sobre a Brand Finance

A Brand Finance é a principal consultoria de estratégia e avaliação de marcas do mundo. Fazendo a ponte entre marketing e finanças, a Brand Finance avalia a força das marcas e quantifica seu valor financeiro para ajudar governos, corporações e organizações de todos os tipos a tomar decisões estratégicas. Com sede em Londres, a Brand Finance tem escritórios em mais de 25 países, oferecendo serviços em todos os continentes.

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

FaLang translation system by Faboba

Podcast

 

 

 

 

Eventos