Um olhar sobre o mundo Português

ptenfrdees

 

                                                                           

h facebook h twitter h pinterest

Yvette Vieira

Yvette Vieira

sábado, 26 setembro 2020 16:16

3º Festival gastronomia de bordo

O Festival Gastronomia de Bordo (FGB) arranca dia 2 de Outubro em Peniche. Como nos anos anteriores, parte desta cidade, ruma a Ílhavo e atraca na Murtosa. Os três Municípios estão ligados pela temática do mar e pelo que este representa nas suas histórias, associadas à pesca longínqua, costeira e lagunar.

Em Peniche, a criação da marca territorial em torno do Mar reflete não só uma aposta estratégica, como também a valorização de um passado histórico alicerçado nas atividades relacionadas com a pesca. A gastronomia constitui um património cultural que importa preservar e potenciar e para as comunidades da pesca, assume um papel importante para o desenvolvimento económico e atratividade local.

Este ano, o festival Gastronomia de Bordo em Peniche adaptou-se às novas circunstâncias e fica circunscrito à experimentação dos pratos nos restaurantes Xakra Beach Bar, Entre Peniche Tapas, Bar Ambassador, Restaurante O Pedro - Peniche, Restaurante Sardinha, Tables, Prainha Restaurant, O Minhoto e Wine Bar entre outros que assumem o compromisso de garantir que as receitas e pratos correspondem à sua origem, amarrada às épocas e às técnicas de confeção tradicional.

De dia 2 a 25 de Outubro, podemos encontrar o seguinte receituário nos restaurantes aderentes a esta iniciativa: Alfaquique (peixe-galo) com açorda de ovas, Arroz de sardinhas, Sopa de peixe, Caldeirada à moda de Peniche, Cavala salgada à moda de Peniche, Filetes de peixe-porco com arroz de berbigão, Lagosta suada à moda de Peniche, Polvo suado, Quelmes secos grelhados com batatas a murro, Raia de molhinho, Sequinho, entre outros.

Os Municípios de Ílhavo, Murtosa e de Peniche, integraram uma candidatura no âmbito da Programação Cultural em Rede que visa desenvolver um programa assente na valorização do património material e imaterial, através de iniciativas que incrementem o turismo cultural e contribuam para o aumento da competitividade regional.

sábado, 26 setembro 2020 15:30

Salsa

A curta-metragem de Igor Dimitri foi selecionada para a 64ª edição do BFI London Film Festival, que se realizará entre os dias 7 e 18 de outubro na Inglaterra.

O filme integra a secção oficial de curtas-metragens do festival, no programa "This is the rhythm of my life" elaborado pelos programadores Nellie Alston, Aduke King, Philip Ilson e Elaine Wong. Estreado em Janeiro no último Festival de Roterdão, "Salsa" é a primeira curta-metragem do jovem realizador português Igor Dimitri. Produzido pela Videolotion em co-produção com a Cyparis, e com distribuição internacional da Agência da Curta Metragem, o filme retrata uma tarde num espaço de encontro, um salão de cabeleireiros dominicanos em Buenos Aires onde os moradores do bairro convivem.

"O meu trabalho tem consistido sobretudo na relação de noções como as de viagem, comunidade, distância, deriva e saudade. Neste filme propus-me a retratar um lugar na Argentina onde a música une os moradores do bairro onde morei, do reggaeton à música eletrónica moderna, e onde a dança é a manifestação da liberdade e da alegria de viver." diz o realizador "Desde o início, tive essa ideia clara de que queria fazer um musical. Penso que a performance nos permite narrar uma história por meio da linguagem corporal em vez de palavras, por isso, a performance também é uma forma de expandir o campo da não-ficção, não necessariamente através do documentário, mas mais através das misturas entre géneros."

Adaptando-se aos extraordinários desafios do ano, o “BFI London Film Festival”, vai exibir 50 estreias virtuais do Festival numa programação que oferece ao público a oportunidade de ver o melhor novo cinema de todo o mundo, incluindo as mais recentes ficções, documentários, animações e filmes clássicos restaurados de arquivos do mundo. Cada filme será apresentado com uma introdução ou perguntas e respostas, e o programa também incluirá uma série de trabalhos e eventos adicionais de acesso gratuito para o público do Reino Unido, incluindo: um programa internacional de curtas-metragens, Screen Talks com grandes cineastas e atores, salões e mesas redondas e uma novíssima Exposição Virtual de XR e Arte Imersiva.

sábado, 26 setembro 2020 14:43

Stress de curt davis

 

Trata-se do primeiro tema de Curt Davis, um jovem músico português de ascendência cabo-verdiana composto pelo próprio e produzido por Ricardo Ferreira.

Um tema de R&B contemporâneo que versa sobre a vulnerabilidade, influenciado por experiências pessoais e relações fracassadas que definem a sonoridade do tema.
Primando pelo timbre inconfundível e flow cativante, Curt Davis inicia hoje uma jornada que promete ser de sucesso ao trazer o melhor do R&B e soul, numa altura em que as sonoridades urbanas se destacam cada vez mais no mercado musical nacional.

Curt Davis, músico e compositor, vem de uma família com tradição musical de raízes cabo-verdianas e tem como principal influência o universo do R&B, Soul e Hip-Hop.

Nascido em Lisboa, aos 5 anos mudou-se com a família para Albufeira onde passou a infância e adolescência.
O seu interesse pela música surgiu aos 12 anos quando começou a escrever as suas primeiras rimas e ingressou no conservatório de música de Albufeira tocando piano como instrumento durante 5 anos. Com uma breve passagem pela Alemanha para conclusão dos estudos universitários, Curt Davis regressa a Lisboa para explorar a vertente artística, apresentando-se no panorama musical nacional com o seu single de estreia Stress.

quarta, 23 setembro 2020 18:47

Numa natureza morta

ArDemente, a companhia de teatro viseense, estreia o espetáculo, no dia 24 de setembro, na Quinta da Cruz, no centro de arte contemporânea.

Neste espetáculo a mesa de refeições transforma-se num campo de batalha de uma família suspensa no tempo. "A semente para este espetáculo surgiu da vontade de explorar de que forma um grupo de pessoas que, aparentemente, se odeia, sobrevive a uma espécie de loop temporal do qual não consegue sair." conta-nos o encenador da peça, Gabriel Gomes. O texto é de três jovens atores viseenses, como Roberto Terra, Sofia Moura e Gabriel Gomes, igualmente intérpretes no espetáculo. A eles juntam-se os atores vindos de Lisboa, Inês Veloso e Henrique Bispo. Numa Natureza Morta é um retrato de família empoeirado, que decorre em torno de instalações cénicas surpreendentes do artista plástico Vítor Freitas e figurinos da autoria de Emanuel Santos.

"Não foi tarefa fácil repensar este espetáculo nesta nova realidade. Após a escrita, o processo criativo decorreu maioritariamente através de plataformas digitais como o Skype, o que nos dá um grande sentimento de gratidão e felicidade, apesar de uma lotação bastante reduzida, podermos acolher o público e dar a conhecer o produto final de um ano tão atípico", refere o ator Roberto Terra.

Após múltiplos reagendamentos devido à pandemia que enfrentamos, finalmente conseguem apresentar ao público com toda a segurança o resultado de longos meses de reflexão e experimentações, graças ao apoio da Fundação GDA, Viseu Cultura e Quinta da Cruz, no centro de arte contemporânea. Estará em cena de 24 a 28 de setembro e ainda conta com alguns lugares disponíveis, de reserva obrigatória. Todas as informações estão disponíveis na página de Facebook da companhia (facebook.com/grupoardemente).

terça, 01 setembro 2020 20:20

Festjazz2020

Realiza-se a 18.ª edição da Festa do Jazz português, entre os dias 12 e 13 de Setembro, no pequeno auditório do Centro Cultural de Belém (CCB, em Lisboa.


O mais importante festival de jazz feito por músicos portugueses a nível mundial com o melhor da música improvisada. Desde a sua primeira edição que a Festa do Jazz se dedica a apoiar e cuidar dos músicos de jazz portugueses. Em 2020 esse apoio torna-se ainda mais urgente e relevante devido às dificuldades que os técnicos, produtores, músicos e todos os envolvidos nesta área enfrentam.

Assim, a FestJazz 2020 associa-se ao Fundo de Solidariedade com a Cultura lançado pela Santa Casa, GDA, Audiogest e GEDIPE através da recolha de donativos, via website Associação Sons da Lusofonia, que revertem a 100% para o fundo.

Esta edição realiza-se, pela primeira vez, no CCB, em Lisboa. A FestJazz2020 é um acontecimento único em Portugal que mostra o melhor da música improvisada portuguesa. É na Festa que o jazz português se tem deixado inspirar em momentos de encontro entre diferentes gerações de músicos, produtores, editores, investigadores, escolas e estudantes, amantes do jazz e diferentes públicos.

É nesta Festa que o jazz português se deixa inspirar, num momento de encontros entre gerações, diversos elementos e públicos, com músicos, estudantes, produtores e amantes do jazz.

Face às condições atuais da pandemia, esta edição da Festa do Jazz não terá público presencial, porém todos os conteúdos serão disponibilizados gratuitamente nas plataformas da RTP Palco, com a programação completa no seguimento deste texto.

A Associação Sons da Lusofonia (ASL) com direção artística do músico Carlos Martins, programa, organiza e produz a Festa do Jazz que culmina num fim-de-semana de concertos e outras atividades que permitem refletir sobre o momento que esta área da cultura vive atualmente.

O jazz sempre foi uma música de resistência e de coragem para fazer oposição social e política a acontecimentos de tendência normalizante, mas também oposição cultural, incluindo a luta pessoal e coletiva contra a resistência ao novo e ao risco, e muitas vezes um ato de coragem criativa contra a banalização da vida em sociedade.
Assim começa o “Livro Festa do Jazz” que é lançado no dia 12 de setembro com presença de José Dias, Gonçalo Frota e Carlos Martins e que marca o arranque de toda a programação da FestJazz2020.

Um livro que conta a história da Festa do Jazz que, em muitos pontos, se confunde com a história contemporânea do jazz em Portugal e traça o perfil de alguns dos seus intervenientes.

A programação de dia 13 de setembro, domingo, arranca com o debate “Portugal, Jazz e a questão racial” com Mamadou Ba (SOS Racismo), Maria João e Selma Uamasse.
O Jazz tem na sua génese uma forte ligação às comunidades negras, aos seus ritmos e formas de interpretação musical. Neste debate pretende-se recuperar essas referências históricas, trazendo-as para a atualidade de forma a refletir sobre o momento atual que vivemos no que diz respeito às questões raciais, mas também de diferença de género.

Em termos de programação musical, durante dois dias, o CCB recebe uma enorme variedade de artistas e propostas musicais. Pelo palco do Pequeno Auditório passam Tomás Marques Quarteto, Andy Sheppard Quarteto, o projeto Volúpias + Rodrigo Pinheiro, João Barradas a solo, Susana Santos Silva e Angélica Salvi Duo, Sound of Desire (trio de Ricardo Toscano) e ainda um encontro de grandes músicos de jazz no panorama português Carlos Martins / João Paulo Esteves da Silva / Carlos Bica / João Lobo.

De destacar a Homenagem a Bernardo Sassetti com participação de João Mortágua (saxofone alto), João Pedro Coelho (piano) e os seus acompanhantes de sempre, Carlos Barretto (contrabaixo) e Alexandre Frazão (bateria) assim como a sessão de encerramento no dia 13 de setembro, pelas 22H00, com Maria João e Carlos Bica.

A FestJaz2020 volta a incluir na sua programação o Encontro Nacional de Escolas, permitindo que os jovens novos talentos do jazz nacional possam mostrar o seu trabalho e valor, integrados numa programação de excelência. JB Jazz Clube, Art'J - Jobra, JAHAS Rockschool Porto, Curso Profissional de Instrumentista de Jazz da Bemposta, ESMAE - Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, Universidade Lusíada de Lisboa e Universidade de Évora são as escolas que participam desta iniciativa na edição deste ano.

Na Festa do Jazz português, tal como tem acontecido nas edições anteriores, serão atribuídos os Prémios RTP / Festa do Jazz consolidando a parceria entre a Associação Sons da Lusofonia e a RTP, que promove a música improvisada portuguesa e dá a conhecer ao público os melhores músicos nacionais de cada ano.

Esta edição realiza-se com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, DGArtes, Centro Cultural de Belém (CCB) e DST Group e, através da recolha de donativos, contribui para o Fundo de Solidariedade com a Cultura. O espírito deste fundo é o de apoiar individual e financeiramente o maior número de pessoas possível, afetadas e em situação de carência devido a cancelamentos ou a adiamentos de atividades culturais devido à Covid-19.

PROGRAMA

Sábado - 12 de Setembro

17h00 – 17h40
Lançamento do “Livro Festa do Jazz”
Com: José Dias, Gonçalo Frota e Carlos Martins

17h40 – 18h00
Encontro Nacional de Escolas

18h00 – 18h40
Em Direto
Tomás Marques Quarteto
Tomás Marques, saxofone
Samuel Gapp, piano
Rodrigo Correia, contrabaixo
Diogo Alexandre, bateria

18h40 – 19h00
Encontro Nacional de Escolas

19h00- 19h40
Carlos Martins, saxofone
Carlos Bica, contrabaixo
João Lobo, bateria
João Paulo Esteves da Silva

19h40 – 20h00
Encontro Nacional de Escolas

20h00 – 20h20
Encontro Nacional de Escolas

20h20 – 21h00
Formação Avançada
Com: Pedro Costa, Gonçalo Frota e Carlos Martins

21h00 – 21h40
Homenagem a Bernardo Sassetti
João Mortágua, saxofone alto.
João Pedro Coelho, piano.
Carlos Barretto, contrabaixo.
Alexandre Frazão, bateria.

21h40 – 22h00
Prémios RTP/Festa do Jazz
Com: João Almeida (Antena 2) e Carlos Martins (ASL)

22h00 – 22h50
Andy Sheppard Quarteto
Andy Sheppard, saxofone tenor/soprano
Mário Delgado, guitarra.
Hugo Carvalhais, contrabaixo.

Domingo - 13 de Setembro

16h30 – 17h40
Debate “Portugal, Jazz e a questão racial”
Com: MamadouBa, Maria João, SelmaUamasse.

17h40 – 18h00
Encontro Nacional de Escolas

18h00 – 18h40
Volúpias + Rodrigo Pinheiro
Pedro Sousa, saxofone tenor.
Rodrigo Pinheiro, piano.
Hernâni Faustino, contrabaixo.
Gabriel Ferrandini, bateria e percussão.

18h40 – 19h00
Encontro Nacional de Escolas

19h00 – 19h40
João Barradas Solo
João Barradas, acordeão e acordeão midi.

19h40 – 20h00
Encontro Nacional de Escolas

20h00 – 20h20
Combo Feminino
Inês Proença, instrumento
Eunice Barbosa,

20h20 – 21h00
Angelica Salvi + Susana Santos Silva
Angelina Salvi, harpa.
Susana Santos Silva, trompete.

21h00– 21h40
Sound of Desire
Ricardo Toscano, saxofone.
Demian Cabaud, contrabaixo.
Marcos Cavaleiro, bateria.

21h40 – 22h00
Menções Honrosas Escolas / Discurso
Com: Carlos Martins

22h00 – 22h50
Maria João + Carlos Bica
Maria João, voz.
Carlos Bica, contrabaixo.
André Santos, guitarra.
João Farinha, electrónica, teclados e sintetizadores.
Ficha Técnica
Organização: Associação Sons da Lusofonia
Direcção: Carlos Martins
Coordenação: Inês Lobo
Direcção Técnica: Rui Guerreiro
Produção: Inês Lobo, Luís Hilário
Assistente Produção: Catarina Fernandes
Design: Travassos
Patrocínio: Santa Casa da Misericórdia e DGArtes

terça, 01 setembro 2020 19:53

Viva o samba

Pela primeira vez em nome próprio no palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, no dia 6 de Setembro.

O projecto “Viva o Samba” nasceu à cinco anos pelos músicos Cícero e Humberto Mateus e teve sempre como objectivo promover a cultura musical brasileira de excelência em terras lusas. O Samba marca o ritmo e todos os domingos na sua residência artística sediada junto ao Rio Tejo, animavam as noites de lisboetas, turistas e contava sempre com convidados surpresa, como Carminho, Vanessa da Mata, Mariza, entre muitos outros...

Eram mais de 700 pessoas por concerto e devido à Pandemia foram forçados a parar, mas sempre com vontade de fazer um regresso digno e que fosse bom para todos, para nós e para o público que o segue.

Um concerto grandioso, que junta no mesmo palco 13 músicos, desde voz, percussão, viola, banjo, bandolim, cavaquinho, violino e harmónica que une através da alegria contagiante do Samba, com o poder da inclusão e solidariedade. O Samba, enquanto património cultural imaterial da humanidade pela Unesco é culturalmente rico e alegre que cativa e enobrece. É o nosso intuito reservar e difundir a tradição do Samba em Portugal. Vamos apoiar o projecto “Viva ao Samba” em segurança com lugares limitados e muitas surpresas.

 

quinta, 28 maio 2020 12:10

W&T20 edição 9.5


Em 2020 o Walk&Talk vai intersectar contextos online e onsite, explorar plataformas emergentes e novos formatos de criação e apresentação artísticas.

A Edição 9.5 acompanha o momento atual e incorpora os impactos incontornáveis da pandemia no bem-estar das populações, proximidade social e vivência dos espaços públicos. Paralelamente, a realização do evento pretende apoiar a reinvenção dos mecanismos de fruição das artes, projetando dinâmicas positivas de socialização e a expansão das experiências de contacto com as comunidades.

A W&T20 vai transitar entre lugares, propondo novos mapeamentos e ensaiando circuitos alternativos de interação e afetos. É um teste à forma como continuamos a mover ideias entre lugares e públicos, e o primeiro momento de uma conversa sobre comunalidade.

ESPAÇO ÂNCORA

No dia 9 de julho inaugura a plataforma online que será o espaço âncora e a porta de entrada para o Walk&Talk 2020. O design deste novo espaço de programação do festival, a cargo do coletivo vivóeusébio e Tiago Pinto, constitui a primeira comissão a ser desenvolvida para a edição 9.5. A plataforma estará acessível ao público através do website www.walktalkazores.org e até 19 de julho vai apresentar projetos, eventos e atividades artísticas, na sua maioria inéditas e que resultam de novas comissões e propostas do grupo de artistas, curadores, parceiros e equipa envolvido no evento.

ARTISTAS & PARTICIPANTES 

Abbas Akhavan, Atelier Brum + Atelier Caldeiras, Alex Farrar, Alice dos Reis, Ana Cristina Cachola, Catarina Miranda, Diogo Lima, Danny Bracken, Flávio Rodrigues, Hugo Cruz, Ilhas Estúdio, Irene Campolmi, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, Juliana Huxtable, Louise O'Kelly, Luísa Salvador, Mané Pacheco, Margarida Fragueiro, Michelangelo Miccolis, Miguel Flor, Miguel Mesquita, Nadia Belerique, Pedro Maia, Ponto Atelier, Sofia Caetano & Elliot Sheedy, Talkie-Walkie, Theaterformen Festival, Tropa Macaca, Victoria Sin, vivóeusébio & Tiago Pinto e outras participações / and other participations.

Além das participações já confirmadas, foram recentemente anunciados os resultados das quatro Open Call Walk&Talk, que anualmente abrem candidaturas para artistas, estudantes de artes, jornalistas e profissionais de arquitetura. Andrew Herzog, Diogo da Cruz, Ellie Ga, Estela Oliva + Ana Quiroga, Matthew C. Wilson e Tiago Patatas, constituem o grupo de artistas selecionado para as Residências Artísticas, Catarina Gonçalves e Luís Senra venceram o Jovens Criadores, Joana Jervell (Attitude Magazine) e Rebecca Greenwald (Metropolis Magazine) a chamada aberta a Jornalistas. Este grupo de artistas e jornalistas terá a oportunidade de participar na edição de 2021 e de desenvolver os seus trabalhos no âmbito das futuras edições do evento.

O concurso para a criação do Pavilhão 2021, promovido em parceria com a Trienal de Arquitetura de Lisboa, reconheceu com menções honrosas as propostas dos coletivos Sauermartins e ArkStudio + StudioMAS, e premiou o projeto do Ilhéu Atelier, que será construído em 2021 na cidade de Ponta Delgada para acolher a 10ª edição do festival.

 

Estamos a meio da edição 9.5, que este ano acontece entre o digital e o físico. O epicentro do 9.5 é uma plataforma online e tudo parte daqui: projetos artísticos pensados em múltiplas formas para um espaço sem geografia, desvendados dia-a-dia até 19 de julho. No onsite, na ilha de São Miguel, temos as expansões dos projetos no território e a rádio 9.5 está a transmitir em 90.5 FM em Ponta Delgada e no online para todo o mundo.Explora o programa, sintoniza a rádio, assiste aos eventos online e, se estiveres em São Miguel, acompanha os projetos que estão a surgir na ilha.

Hodiernidade | e na anfibologia do Agora Mural / Onsite
Flávio Rodrigues
Etar da Pranchinha, Marginal de Ponta Delgada

Figura - Lugar Exposição/Exhibition
Beatriz Brum, João Miguel Ramos & Rodrigo Queirós
Até 19 JUL - Atelier Brum, Rua das Alminhas 4, Lagoa, São Miguel

Burning Eclipse Residencia/Residency
Catarina Miranda Presentação/Presentation 2021
16 JUL - 17H (GMT) - Live WIP @ 9.5.walktalkazores.org
Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas

Inbetween Installation / Onsite
Ponto Atelier
Vários locais em Ponta Delgada

Stan Rehearsal Online/Onsite
Alice dos Reis
16 JUL - 17H (GMT) - Live @ 9.5.walktalkazores.org

Últimos dias de Emanuel Raposo Film /Online
Diogo Lima
17 JUL - 17H (GMT) - Live @ 9.5.walktalkazores.org

Call out on 'Sweat studies´ Paste-ups / Onsite
Alex Farrar
Vários locais em Ponta Delgada

 

PODCASTS / TALK ABOUT
As Talk About são conversas que acompanham o programa, projetos e participantes das várias edições do Walk&Talk, e existem para mapear e mover ideias entre geografias. Na edição 9.5, transformam-se numa série podcast com 10 episódios, disponibilizados ao longo do Festival.

SUMMER SCHOOL WALK&TALK
A Summer School está a decorrer até dia 19 de Julho, reunindo 11 jovens participantes de várias geografias numa só espaço comum: o virtual. Já se encontraram com João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, Catarina Miranda , BERRU + Cláudio e Irene Campoli, e vão desenvolver para esta edição do festival um ensaio-resposta, às perguntas: e se não fosse um vírus, mas uma palavra? Que palavra seria esta para agir?

O Concurso de Piano de Oeiras (CPO) teria lugar no Parque dos Poetas, de 26 a 28 de junho numa iniciativa da Associação CulturXis com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras. Apesar das previsões otimistas para o mês de junho na gestão epidémica do nosso país, optou-se pela realização do Concurso em formato online, que será transmitido, nos mesmos dias, através das diversas plataformas digitais do Município de Oeiras e do CPO.

A alternativa digital garante a segurança e o conforto de todos os participantes e de quem os acompanha. Uma prática que está acontecer em muitos concursos a nível mundial e de acesso ao ensino superior do nosso País.

Dada esta alteração, os concorrentes deverão continuar a inscrever-se na plataforma, através do site https://oeirasconcursopiano.com/ e consultar novamente o Regulamento do Concurso. As gravações das provas serão depois transmitidas online, nas datas previstas da realização do evento.

Recorde-se que o CPO assume-se como o palco do trabalho desenvolvido por jovens pianistas, numa oportunidade de apresentarem o trabalho desenvolvido perante um Júri diversificado entre docentes/concertistas de referência nacional e internacional.

A Edição 2020 do CPO assume-se como parte integrante na formação dos estudantes de piano, uma meta e valorização do trabalho desenvolvido por professores e alunos, especialmente, quando escasseiam oportunidades de performance, nesta reta final do ano letivo.

Para marcar o arranque da edição deste ano, o pianista Jeffrey Swann (E. U. A.), que também integra o Júri do II Concurso de Piano de Oeiras, dará um recital com obras de Chopin, Liszt e Debussy, dia 26 de Junho, às 21H00, nas redes sociais da organização.

Pelo excecional panorama que vivemos, a organização reitera a convicção de proporcionar uma experiência adaptada à realidade atípica, e, enfatiza a relevância do estímulo ao estudo dos alunos que se encontram em casa, bem como o objetivo de se apresentarem a uma prova, independentemente do seu formato.

quinta, 07 maio 2020 17:49

Curtas-metragens para ver ou rever

Última oportunidade para ver "Filmes Curtos para Dias Longos", ver as curtinhas em família, relembrar as histórias da competição nacional e outras novidades. 


A Agência da Curta Metragem tem levado a cabo uma iniciativa com o título "Filmes Curtos para Dias Longos" para ajudar a diminuir a distância em relação ao cinema neste período de confinamento, apresentando num espaço virtual várias curtas-metragens de autores portugueses. O Curtas Vila do Conde associou-se nas últimas semanas a essa iniciativa com um programa que celebra o formato e apresenta algumas das produções do Curtas ao longo dos últimos anos, filmes que contam como característica importante uma ligação à região norte de Portugal, e alguns têm mesmo uma relação directa com Vila do Conde, onde foram rodados. Este programa, que permite não só conhecer parte da história recente do festival, como também da região onde este decorre, está disponível nesta ligação apenas durante os próximos dias.
Last chance to see "Short Films for Long Days"
Agência – Portuguese Short Film Agency has carried out an initiative with the title "Short Films for Long Days" to help close the gap in relation to cinema in this period of confinement, presenting in a virtual space several short films by Portuguese authors. In the last few weeks, Curtas Vila do Conde joined this initiative with a program that celebrates the format and presents some of Curtas' productions over the past few years, films that count as an important feature a connection to the northern region of Portugal, and some even have a direct relationship with Vila do Conde, where they were shot. This program, which allows you to discover not only part of the recent history of the festival, but also the region where it takes place, is available on this link only for the next few days.

Curtinhas em Família
O Curtas Vila do Conde, em colaboração com a Agência da Curta Metragem, preparou uma seleção de curtas-metragens de animação, para os serões em família, durante o mês de Maio. A seleção parte do catálogo de filmes da secção infanto-juvenil "Curtinhas", que passaram pelas últimas edições do festival. A iniciativa irá dividir-se em duas sessões - uma dedicada aos maiores de 3 anos e outra aos maiores de 6 anos -, começando na próxima sexta-feira (8 de maio). Os filmes mantêm-se para visualização gratuita até dia 1 de junho (Dia Mundial da Criança). O Curtas oferece ainda uma série de propostas de atividades que as famílias podem fazer no final de cada sessão: são simples e divertidas, como a elaboração de desenhos, pinturas, fotografias e vídeos a serem partilhadas nas redes sociais do Curtas. As curtas-metragens e as atividades serão disponibilizadas no site do Curtas Vila do Conde.
Curtinhas for the family

Looking Back, as histórias da Competição Nacional
A Competição Nacional teve a sua estreia na terceira edição do Curtas, em 1995. É a segunda competição do festival com maior longevidade, atrás apenas da Competição Internacional. A história desta competição é também a história do Curtas e intimamente ligada ao que de mais importante aconteceu no cinema português nas últimas três décadas, algo que é reflectido na popularização da expressão "Geração Curtas". Neste artigo propomos um olhar sobre a Competição, as suas histórias e os seus autores, nomes como Miguel Gomes, Sandro Aguilar e João Nicolau, sem esquecer os nomes emergentes de uma nova geração de realizadoras, recentemente premiadas no festival.º

Regina Pessoa online no Internationales Trickfilm-Festival Stuttgart
A curta-metragem "História Trágica com Final Feliz" de Regina Pessoa será exibida na edição online do Stuttgart Festival of Animated Film (ITFS), a realizar-se de 5 a 10 de maio, no site do festival. A exibição do filme terá lugar no dia 9 de maio após a transmissão de uma entrevista com a realizadora Regina Pessoa, a partir das 18h56 (CEST) [17h56 em Portugal]. A exibição e entrevista estão inseridas no programa "Women in Animation", com uma seleção dos filmes de animação mais singulares e notáveis das últimas décadas, realizados ou produzidos por mulheres.

Loja das Curtas com descontos
A Loja das Curtas continua disponível para fazer encomendas através da loja online no site, Facebook e Instagram. Nos tempos de isolamento responsável que atravessamos, um livro, um disco ou um filme são sempre boa companhia e na Loja das Curtas pode encontrar literatura sobre arte, cinema e cinema expandido, ciências sociais e humanas e literatura; discos, vinis e dvds (alguns deles produzidos pelo Curtas Vila do Conde). Até 31 de Maio a Loja apresenta algumas promoções a não perder: uma selecção de artigos do Curtas a 70%, 15% desconto nas editoras Humus, Almedina, Planeta Tangerina, Orfeu Negro e nos artigos da Midas Filmes/Alambique, e portes grátis a partir de 50€ em compras.

terça, 05 maio 2020 13:04

Marcar a vez

Facilitar a ida às compras, evitar filas de espera e aliviar a difícil fase de limitações que a pandemia de COVID-19 impôs aos estabelecimentos de atendimento ao público, é o objetivo da nova app, “Marca a vez”. A aplicação foi desenvolvida por dois portuenses, estudantes da Universidade de Aveiro, Sofia Ribeiro e Diogo Carvalho. O projeto visa abranger todos os espaços de atendimento ao público e destina-se a todos os consumidores.


A plataforma online requer apenas três passos, o utilizador escolhe o estabelecimento comercial ao qual se pretende dirigir, marca o horário, verifica as suas escolhas e, por fim, recebe um código que deve apresentar quando se desloca ao local. 
Segundo Sofia Ribeiro, responsável pelo projeto, a ideia da aplicação surgiu no início de março, face às limitações de frequência impostas aos estabelecimentos comerciais, “Quando nos deparámos com a nova regra dos estabelecimentos comerciais, que apenas permite a presença de quatro pessoas por cada 100 metros quadrados, decidimos contribuir de alguma forma que pudesse facilitar as deslocações das pessoas às compras e evitar as filas de espera desnecessárias, reduzindo, também, o tempo de exposição da pessoa fora de casa. Assim, criámos uma plataforma onde as pessoas podem, antes de sair de casa, articular com os estabelecimentos comerciais ou com os serviços de atendimento ao público aderentes a marcação da visita.”
A plataforma está pronta a ser disponibilizada para qualquer espaço de atendimento ao público, como grandes cadeias de venda a retalho, supermercados, farmácias, serviços públicos (CTT, Lojas do Cidadão, Finanças, etc). Numa fase inicial, o sistema prevê que as marcações efetuadas através da plataforma representem apenas 50% da capacidade de cada estabelecimento comercial, percentagem esta que poderá vir a ser ajustada consoante a adesão que se venha a verificar.  Cada espaço de atendimento ao público que pretenda adotá-la, deverá contactar a equipa que desenvolveu a app e, após a adesão, informar os seus clientes que já poderão efetuar as marcações através da plataforma. “Marca a vez” foi desenvolvida a nível independente pela dupla de estudantes, não estando inserida no âmbito universitário. Neste sentido, o projeto está aberto a qualquer investidor interessado em apostar nesta app inovadora.

Vi a vossa página e achei que esta muito incompleta em termos de informações.
Sofia Ribeiro: O objectivo é facilitar a ida às compras, evitar filas de espera e aliviar a difícil fase de limitações que a pandemia de COVID-19 impôs aos espaços de atendimento ao público, é o que visa a plataforma “Marca a vez”.

Eu fiz a simulação para agendar um serviço e ainda tem muito poucas empresas privadas ou mesmo públicas. E no que se refere as ilhas não foi possível agendar nada, porque não é permitido. Gostaria de saber como vão fazer chegar a vossa app as micro, medias e grandes empresas nacionais, públicas e privadas, incluindo ilhas?
SR: A utilização é simples e requer apenas três passos. Na plataforma online marcavez.pt, o utilizador escolhe o estabelecimento comercial ao qual se pretende dirigir, marca o horário, verifica as suas escolhas e, por fim, recebe um código que deve apresentar quando se desloca ao local.

Qual vai ser o custo de baixar a vossa app? Ou como o vosso serviço será cobrado?
SR: Não tem de fazer download de nenhuma aplicação, nem ocupar espaço no smartphone. Pode ser utilizada em qualquer dispositivo, desde computador ao telemóvel, desde que tenha acesso à Internet.

Fazendo um agendamento através da app para um supermercado, ou serviço público, marcando uma hora, como vai funcionar, se por exemplo, já há pessoas na fila à espera na entrada? O vosso serviço precede as pessoas que esperam na fila, é isso?
SR: A plataforma está pronta a ser disponibilizada para qualquer espaço de atendimento ao público, como grandes cadeias de venda a retalho, supermercados, farmácias, serviços públicos (CTT, Lojas do Cidadão, Finanças,etc ). Numa fase inicial, o sistema prevê que as marcações efetuadas através da plataforma representem apenas 50% da capacidade de cada estabelecimento comercial, percentagem esta que poderá vir a ser ajustada consoante a adesão que se venha a verificar. Cada espaço que pretenda adotar este serviço, só tem de contactar a equipa que desenvolveu a plataforma.

https://marcavez.pt.

Pág. 1 de 146
FaLang translation system by Faboba

Eventos


loading...