Um olhar sobre o mundo Português

ptenfrdees

 

                                                                           

h facebook h twitter h pinterest

Marcar a vez

Escrito por 

Facilitar a ida às compras, evitar filas de espera e aliviar a difícil fase de limitações que a pandemia de COVID-19 impôs aos estabelecimentos de atendimento ao público, é o objetivo da nova app, “Marca a vez”. A aplicação foi desenvolvida por dois portuenses, estudantes da Universidade de Aveiro, Sofia Ribeiro e Diogo Carvalho. O projeto visa abranger todos os espaços de atendimento ao público e destina-se a todos os consumidores.


A plataforma online requer apenas três passos, o utilizador escolhe o estabelecimento comercial ao qual se pretende dirigir, marca o horário, verifica as suas escolhas e, por fim, recebe um código que deve apresentar quando se desloca ao local. 
Segundo Sofia Ribeiro, responsável pelo projeto, a ideia da aplicação surgiu no início de março, face às limitações de frequência impostas aos estabelecimentos comerciais, “Quando nos deparámos com a nova regra dos estabelecimentos comerciais, que apenas permite a presença de quatro pessoas por cada 100 metros quadrados, decidimos contribuir de alguma forma que pudesse facilitar as deslocações das pessoas às compras e evitar as filas de espera desnecessárias, reduzindo, também, o tempo de exposição da pessoa fora de casa. Assim, criámos uma plataforma onde as pessoas podem, antes de sair de casa, articular com os estabelecimentos comerciais ou com os serviços de atendimento ao público aderentes a marcação da visita.”
A plataforma está pronta a ser disponibilizada para qualquer espaço de atendimento ao público, como grandes cadeias de venda a retalho, supermercados, farmácias, serviços públicos (CTT, Lojas do Cidadão, Finanças, etc). Numa fase inicial, o sistema prevê que as marcações efetuadas através da plataforma representem apenas 50% da capacidade de cada estabelecimento comercial, percentagem esta que poderá vir a ser ajustada consoante a adesão que se venha a verificar.  Cada espaço de atendimento ao público que pretenda adotá-la, deverá contactar a equipa que desenvolveu a app e, após a adesão, informar os seus clientes que já poderão efetuar as marcações através da plataforma. “Marca a vez” foi desenvolvida a nível independente pela dupla de estudantes, não estando inserida no âmbito universitário. Neste sentido, o projeto está aberto a qualquer investidor interessado em apostar nesta app inovadora.

Vi a vossa página e achei que esta muito incompleta em termos de informações.
Sofia Ribeiro: O objectivo é facilitar a ida às compras, evitar filas de espera e aliviar a difícil fase de limitações que a pandemia de COVID-19 impôs aos espaços de atendimento ao público, é o que visa a plataforma “Marca a vez”.

Eu fiz a simulação para agendar um serviço e ainda tem muito poucas empresas privadas ou mesmo públicas. E no que se refere as ilhas não foi possível agendar nada, porque não é permitido. Gostaria de saber como vão fazer chegar a vossa app as micro, medias e grandes empresas nacionais, públicas e privadas, incluindo ilhas?
SR: A utilização é simples e requer apenas três passos. Na plataforma online marcavez.pt, o utilizador escolhe o estabelecimento comercial ao qual se pretende dirigir, marca o horário, verifica as suas escolhas e, por fim, recebe um código que deve apresentar quando se desloca ao local.

Qual vai ser o custo de baixar a vossa app? Ou como o vosso serviço será cobrado?
SR: Não tem de fazer download de nenhuma aplicação, nem ocupar espaço no smartphone. Pode ser utilizada em qualquer dispositivo, desde computador ao telemóvel, desde que tenha acesso à Internet.

Fazendo um agendamento através da app para um supermercado, ou serviço público, marcando uma hora, como vai funcionar, se por exemplo, já há pessoas na fila à espera na entrada? O vosso serviço precede as pessoas que esperam na fila, é isso?
SR: A plataforma está pronta a ser disponibilizada para qualquer espaço de atendimento ao público, como grandes cadeias de venda a retalho, supermercados, farmácias, serviços públicos (CTT, Lojas do Cidadão, Finanças,etc ). Numa fase inicial, o sistema prevê que as marcações efetuadas através da plataforma representem apenas 50% da capacidade de cada estabelecimento comercial, percentagem esta que poderá vir a ser ajustada consoante a adesão que se venha a verificar. Cada espaço que pretenda adotar este serviço, só tem de contactar a equipa que desenvolveu a plataforma.

https://marcavez.pt.

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

FaLang translation system by Faboba

Eventos


loading...