Um olhar sobre o mundo Português

ptenfrdees

 

h facebook h twitter h pinterest

Yvette Vieira

Yvette Vieira

sábado, 01 junho 2019 12:08

Bolonha 20 anos depois


Duas décadas depois da assinatura da Declaração de Bolonha, a Universidade de Aveiro (UA) recebe uma conferência nacional de reflexão e debate sobre a implementação e o futuro do processo que transformou o ensino superior europeu. Com a presença de Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o encontro “Bolonha ,20 anos depois” decorre a 19 de junho, no Auditório da Reitoria da UA.

Apoiado pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e pelo Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), na conferência estão igualmente confirmadas as presenças de Eduardo Marçal Grilo, signatário da Declaração de Bolonha enquanto Ministro da Educação, Pedro Lourtie, o diretor-geral do Ensino Superior que acompanhou as negociações da declaração, Stephane Lauwick, presidente da European Association of Institutions in Higher Education (EURASHE), João Picoito, antigo vice-Presidente da Nokia, Robert Napier, presidente da European Students Union (ESU) e João Pinto, presidente do International Board da Erasmus Student Network (ESN).

Na perspetiva de Jorge Adelino Costa, Vice-reitor da UA para o Ensino e Formação, “estas datas simbólicas são sempre excelentes pretextos para promovermos a reflexão sobre o passado e a discussão sobre os desafios que o futuro nos impõe”.
Tendo em conta a importância do Processo de Bolonha na transformação do ensino superior europeu, explica Jorge Adelino da Costa, “tomámos a iniciativa de promover este evento e de criar mais uma oportunidade para que o tema seja debatido”.

O responsável recorda que “o facto do professor Eduardo Marçal Grilo, enquanto Ministro da Educação, ter sido o signatário da Declaração por Portugal, foi um argumento adicional para realizarmos este evento, tendo em conta o cargo de Presidente do Conselho Geral que hoje exerce na UA”.

Todas as informações sobre a Conferência em http://www.ua.pt/bolonha20anos

sábado, 01 junho 2019 11:45

Golpada de dea loher

 

A nova produção do Teatro Aberto, em Lisboa, vai estrear a 14 de Junho, Golpada, de Dea Loher, com encenação de João Lourenço.

Considerada uma das vozes mais inventivas e poéticas da nova dramaturgia europeia, como comprovam os muitos prémios que têm distinguido a sua obra, Dea Loher escolhe para as suas peças histórias figuras do quotidiano e confere-lhes uma dimensão filosófica e universal ao apresentá-las na procura de respostas para grandes questões como o sentido da vida, as possibilidades de transformação da sociedade ou a realização dos sonhos individuais. Golpada, estreada em 2015 pelo Deutsches Theater, Berlin, é a mais recente peça do Teatro Aberto.

Maria e Jesus Maria são gémeos. Vêm de um meio desfavorecido, têm trabalhos mal pagos e, desde crianças, um grande sonho: ser ricos, ter muito dinheiro para comprar tudo o que lhes apetece, agora já, não um dia mais tarde. Jovens e destemidos como são, urdem um plano para concretizarem o seu sonho quando de repente, como que por acaso, lhes aparece um certo senhor Milagre com uma proposta irrecusável. Os seus exóticos vizinhos, a vidente Madame Bonafide e o realizador Otto-Porno, avisam-nos dos perigos que correm, mas nada nem ninguém consegue travar a força daquele sonho com uma vida melhor.

Com humor, poesia e um olhar atento a tudo o que é profundamente humano, a conceituada autora alemã Dea Loher (de quem o Teatro Aberto apresentou Imaculados, em 2008) conta em Golpada uma história de contornos policiais que celebra a irreverência da juventude e o poder da fantasia. Com um enredo cheio de momentos surpreendentes e música interpretada ao vivo, o espectáculo apresenta-se como um concerto a várias vozes e um desafio para nunca se deixar de sonhar com a alegria e a liberdade.

VERSÃO
João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
DRAMATURGIA
Vera San Payo de Lemos
ENCENAÇÃO E CENÁRIO
João Lourenço
DIRECÇÃO MUSICAL
Renato Júnior
FIGURINOS
Ana Paula Rocha
VÍDEO
Nuno Neves
INTERPRETAÇÃO
Ana Guiomar | Carlos Malvarez | Cristóvão Campos | Rui Melo | Tomás Alves
MÚSICOS
Giordanno Barbieri | Mariana Rosa
SALA VERMELHA, TEATRO ABERTO
De 14 de Junho a 28 de Julho

quarta, 29 maio 2019 17:29

Photo Ark em vilamoura

Inauguração acontece no Dia Mundial da Criança, o Photo Ark de Joel Satore, em Vilamoura, no Algarve. 

A partir de 1 de junho, Vilamoura prepara-se para receber um evento cultural único, de grande impacto e projeção nacional e internacional: a Photo ARK,  a Nova Arca de Noé, de Joel Sartore, exposição com a chancela da National Geographic.
Numa organização conjunta da Câmara Municipal de Loulé e da Inframoura, esta é uma exposição da National Geographic composta por dezenas de fotografias de animais da autoria do fotógrafo Joel Sartore. Trata-se de um projeto que pretende fotografar todas as 12 mil espécies que existem em cativeiro, para criar um enorme arquivo, capaz de sensibilizar o público para a conservação das espécies animais: uma espécie de Arca de Noé fotográfica. O autor estipulou o prazo de 25 anos (de 2005 a 2010) para levar por diante este projeto. Nos últimos dez anos, Joel Sartore captou mais de 7 mil espécies, sendo que 12 das fotos foram tiradas em Portugal. Depois da sua passagem pelo Porto e Lisboa, com mais de 150 mil visitantes, Vilamoura acolhe agora esta mostra fotográfica num recinto com 400m², num ambiente privilegiado na envolvente da prestigiada Marina.
Para o presidente da Câmara Municipal de Loulé “é um prazer, enquanto autarca mas também como cidadão, acolher no Concelho de Loulé uma iniciativa com o cunho da National Geographic, sobretudo por tratar-se de um projeto de vai ao encontro dos valores que também este Município partilha: a preservação da espécie animal e sustentabilidade do Planeta”.
A exposição poderá ser visitada a partir de 2 de junho até ao dia 30 de setembro na Marina de Vilamoura . ma Av. Cerro da Vila, junto ao Hotel The Lake Resort, entre as 14h30 e as 23h30.

segunda, 20 maio 2019 17:35

Animar 14 com regina pessoa

Regina Pessoa estará em Vila do Conde para apresentação do seu mais recente filme e da sua obra em animação na festa de encerramento da ANIMAR 14.

A ANIMAR 14 chega ao fim com um programa para toda a família em que os mais novos são o centro das atenções. A Festa de Encerramento acontece a 25 de maio no Teatro Municipal de Vila do Conde. Nos últimos três meses, a equipa da Solar, a Galeria de Arte Cinemática, promoveu, de forma intensiva, várias atividades dedicadas à formação dos mais novos para o cinema: sessões de cinema, ateliês de cinema, oficinas de pixilação, brinquedos óticos e "stop-motion" e visitas guiadas à exposição patente, entre outras. Do ensino básico ao secundário, mais de quatro mil alunos da região Norte puderam participar neste projeto, quer em contexto escolar, quer fora dele.

Nesta edição, o programa inclui a exibição de curtas-metragens realizadas durante o ANIMAR 14, e a apresentação da retrospetiva integral em animação de Regina Pessoa, com a presença da realizadora, cujo ponto alto será a estreia do seu mais recente filme "Tio Tomás, A Contabilidade Dos Dias".

Até sábado, dia 24 de maio, ainda será possível visitar a exposição ANIMAR 14, patente na Solar e no dia seguinte, será a festa de encerramento no Teatro Municipal de Vila do Conde a partir das 16 horas.

PROGRAMA

16h00- Curtas-Metragens produzidas em ateliês e reportagem sobre todas as atividades;

17h00- Estreia do novo filme de Regina Pessoa,Tio Tomás, A Contabilidade Dos Dias, com a presença da realizadora
+
retrospetiva integral da sua obra em cinema de animação

quinta, 16 maio 2019 11:21

Monda apresenta cal

Monda em concerto para apresentar o álbum Cal a 31 de Maio, pelas 21.30, no Capitólio, em Lisboa.

Os ingredientes de que é feita a inspiração que distingue o colectivo Monda, estão presentes em cada um das suas canções. As raízes, sentimentos e emoções que caracterizam a sua música, têm um calor muito próprio. Com uma aproximação clara às novas tendências musicais, a matriz Trad/Folk dos Monda é condimentada pela sua clarificação de sonoridades muito particulares, com arranjos e instrumentos diversos, atravessando muros e fronteiras.

Monda é tudo o que as planícies do Sul nos oferecem. Serenidade, força e distinção. Ao vivo, muito mais que a celebração do Cante, com novas cores e novos contornos, A música desta banda torna-se numa festa genuína, luminosa e emocionante, que canta fundo para o mundo, as raízes dum país inteiro. 

sábado, 11 maio 2019 16:46

Faz-te homem

Uma comédia com João Didelet e António Machado, com estreia no dia 17 de Maio,pelas 21.30, no Coliseu do Porto Ageas.

terça, 30 abril 2019 15:36

Arranca 16ª edição indielisboa

A 16ª edição do IndieLisboa by Allianz está de regresso e, pelo sexto ano consecutivo, de 2 a 12 de maio, o festival irá trazer a Lisboa o melhor e mais recente cinema nacional e internacional.

Este ano o IndieLisboa conta apresenta um total de 270 filmes, dos quais há 86 longas e 184 curtas-metragens, 51 dos quais são portugueses, que serão exibidos no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa. À semelhança das edições anteriores, a seguradora irá premiar a melhor longa-metragem portuguesa, com um prémio no valor 7500 euros.

A programação diversa promove o diálogo entre diferentes gerações e geografias do cinema, relacionando as urgências políticas, sociais e estéticas do mundo. Em destaque, este ano, estão a cinematografia contemporânea brasileira, mas também o cinema francês da Nouvelle Vague, através do ciclo retrospetivo a Anna Karina, na seção Herói Independente. Também em foco estará a dupla Caroline Poggi e Jonathan Vinel, na secção Silvestre.

Além das sessões de cinema, os visitantes poderão ainda aproveitar atividades paralelas como as Lisbon Screenings, que através da concentração de filmes, produtores, realizadores e decisores internacionais, pretende dar visibilidade ao cinema português. O PLOT Script Lab, um workshop de argumento com tutores internacionais; as LisbonTalks, as masterclasses e concertos do Indie Lisboa by Night, de várias artistas da história do rock em Portugal, como Lena d'Água, Adelaide Ferreira, Anarchicks e Aurora Pinho.

A decorrer também nas mesmas datas, o IndieJúnior, que, além de filmes, conta com atividades e oficinas que apelam à criatividade das crianças e famílias durante o festival.

O programa completo do evento pode ser consultado em http://www.indielisboa.com

quinta, 11 abril 2019 15:04

Carta branca aos realizadores

Um Ano a Celebrar o Cinema Português do Século XXI, através de uma seleção de cinema nacional por diversos festivais em Portugal. 

No âmbito da celebração do seu 20º aniversário, a Agência da Curta Metragem apresenta a iniciativa "Carta Branca aos Realizadores Portugueses" que, no espaço de um ano, irá percorrer os diversos festivais de cinema, de norte a sul do país, com sessões especiais de celebração da cinematografia nacional do século XXI.

A Carta Branca aos Realizadores será uma mostra de cinema português de processo invertido convocando as pessoas que pensam cinema na sua origem , os criadores, para se colocarem no papel do programador e fazer uma revisitação ao cinema nacional numa sessão de curtas-metragens.

A nomeação de cada uma das personalidades é da responsabilidade do festival anfitrião, e o cineasta é desafiado a apresentar um cinema português crítico e inventivo narrado pelo próprio num olhar para os seus pares, onde haverá espaço para refletir sobre as mudanças significativas que foram operadas no cinema português no novo século, no seu perfil percebido em Portugal e além fronteiras (entre as quais a legitimação do formato curta-metragem), a diversidade de abordagens e percursos seguidos pelos criadores nacionais, relações e cumplicidades.

A iniciativa arranca já no próximo domingo, 14 de Abril, no Festival Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, às 15h30, e contará com a presença e curadoria do realizador Rodrigo Areias, seguindo-se o Fest em Espinho (que convidou Gonçalo Almeida), o Curtas Vila do Conde (com João Nicolau), Filmes do Homem (Eduardo Brito), Motel X (João Pedro Rodrigues), Queer Lisboa e Queer Porto (Cláudia Varejão), Close-Up (Pedro Serrazina), Doc Lisboa (Mariana Gaivão), Vista Curta (a definir), Temps D'Image (Paulo Furtado), Inshadow (Rui Xavier), Cinanima (Vasco Sá e David Doutel), Caminhos do Cinema Português (João Salaviza), Porto/Post/Doc (Mónica Santos e Alice Guimarães), Monstra (José Miguel Ribeiro), Cortex (Patrick Mendes), Indie Lisboa (Gabriel Abrantes), Encontros de Viana (Manuel Mozos), Fantasporto (José Magro) e Leiria Film Festival (Edgar Pêra).

A celebração dos 20 anos da Agência contará ainda com a edição de um livro sobre o cinema português do século XXI, coordenado e editado por Daniel Ribas e Paulo Cunha, investigadores em cinema português com extensa bibliografia e colaboradores regulares do Curtas Vila do Conde. O livro, cujo lançamento está programado para Outubro, contará com textos de Augusto Seabra, Haden Guest, Adrian Martin, Leo Goldsmith, Roger Koza, Carmen Gray, Cíntia Gil, Iván Villarmea, Tiago Baptista, Pascale Cassagnau, Olivier Cotte e Martin Pawley.

Este projeto levado a cabo pela Agência da Curta Metragem com a parceria dos festivais intervenientes e a colaboração imprescindível dos cineastas que aderiram ao desafio, conta com o apoio financeiro do Instituto de Cinema e Audiovisual, e pretende ser mais um passo assinalável num conjunto de futuras iniciativas em prol da nossa cultura cinematográfica.

quinta, 11 abril 2019 14:53

Queixas a CP disparam

Atrasos, falta de condições, supressão de comboios e devolução de dinheiro lideram as reclamações dos passageiros no Portal da Queixa

O Portal da Queixa registou um aumento significativo das reclamações dirigidas aos Comboios de Portugal (CP). Entre 7 de abril de 2018 e 7 de abril de 2019, as queixas dispararam 82%, comparativamente com o período homólogo. Em comum, nos dois períodos em análise, está o motivo principal das reclamações: os atrasos.

Ano após ano, o Portal da Queixa tem-se deparado com a crescente insatisfação dos consumidores perante os serviços da CP. Desde o início do ano, até ao dia 7 de abril, a maior rede social de consumidores de Portugal viu serem registadas na sua plataforma: 126 reclamações. A equipa do Portal da Queixa decidiu fazer a análise entre dois períodos mais longos e verificou que, de 7 de abril de 2017 a 7 de abril de 2018, foram recebidas 339 reclamações, tendo constatado que o número das queixas disparou para 617, entre 7 de abril de 2018 e 7 de abril de 2019, refletindo um aumento de 82%.

Por que motivo é a CP alvo de tantas reclamações?

São vários os motivos das reclamações que os consumidores dirigem à CP. No entanto, a maioria reporta: atrasos, falta de condições, a supressão de comboios e a devolução de dinheiro por engano no preço do bilhete.

CP sem resposta e baixa resolução

A página da CP no Portal da Queixa é o reflexo da falta de resposta entre a marca e o consumidor, uma vez que, apresenta um Índice de Satisfação de apenas 4.7 em 100 e uma Taxa de Resposta de 0%, alusiva ao último ano. Das mais de 600 reclamações recebidas nos últimos doze meses, apenas 14 estão dadas como resolvidas.

De referir que, um relatório da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes sobre o estado da ferrovia em Portugal em 2017, divulgado em março de 2019, concluiu ainda que os comboios da CP passam cada vez mais tempo parados. O documento compara a CP, empresa pública, com a Fertagus, única empresa privada de comboios para passageiros em Portugal, e a diferença é evidente. A chamada taxa de imobilização para manutenção, reparação ou outras razões manteve-se estável na Fertagus entre 2015 e 2017 (6%), mas subiu na CP: de 14% para 19% nas carruagens; e de 12% para 16% nas automotoras e locomotivas, pelo que por dia cerca de uma em cada seis está imobilizada.

sábado, 06 abril 2019 14:05

Zé manel em português

O cantor multifacetado edita o primeiro disco em nome próprio e em português.

Zé Manel iniciou a sua carreira em 2003, com apenas 14 anos de idade. O seu talento incomum para cantar e escrever canções e o timbre singular deram desde cedo que falar, fazendo com que se tornasse num dos mais respeitados e reconhecidos artistas portugueses da sua geração. Com os Fingertips e, mais tarde com Darko, percorreu o país de Norte a Sul atuando para multidões, constando dos tops de vendas e de airplay e tornando-se num opinion maker nas redes sociais.

Agora, com 30 anos de idade, decide editar o seu primeiro disco em português e em nome próprio. Levando a composição e a escrita ao seu mais alto nível, Zé Manel apresenta um disco conceptual e a sua obra mais pessoal até à data.

OFF chega hoje às lojas e hoje também fica disponível o videoclipe para AGOSTO o tema que Luísa Sobral escreveu para este disco.

Próximas Datas

20 de Abril, FNAC Viseu, 16h

20 de Abril, FNAC Leiria, 22h

3 de Maio OFF apresenta-se ao vivo no Musicbox em Lisboa.

Alinhamento

Intro - Matriz
Janeiro
Fevereiro feat Maro
Março (letra de Pedro Chagas Freitas)
Abril feat Tozé Brito
Maio feat José Cid
Junho
Julho feat Ella Nor
Agosto (música e letra de Luísa Sobral)
Setembro feat Surma
Outubro feat Sandra Pereira
Novembro
Dezembro feat Leigh Nash

Pág. 1 de 141
FaLang translation system by Faboba

Podcast

Eventos


loading...