Um olhar sobre o mundo Português

ptenfrdees

 

                                                                           

h facebook h twitter h pinterest

Yvette Vieira

Yvette Vieira

quarta, 29 abril 2020 19:39

Covi-izer comedy

A partir do dia 1 de maio até o dia 8 assista no facebook online ao novo festival de comédia  do Teatro Experimental da Camacha (TEC). 

Com um cartaz recheado de talentos madeirenses. Fiquem em casa e vejam este Festival de Comédia Online, diretamente na página do Facebook do TEC.
"FOI O COVID-IZER" de 1 a 8 de Maio.

Dia 1 - JPRamos
Dia 2 - 100% Xavelha
Dia 3 - Johnny Madeira
Dia 4 - Crispim 4Litro
Dia 5 - Raul Ribeiro
Dia 6 - Pedro Freitas
Dia 7 - Acácia das DIVAS Teatro Experimental da Camacha
Dia 8 - Afonso Rodrigues (Eco-Man)

Designer - Roberto Assis Produções

domingo, 19 abril 2020 15:55

George

Uma produtora portuguesa lançou para o meio digital alguns dos pequenos filmes que produziu, o primeiro, uma comédia sobre a vontade de comer.

Nesta quarentena, a cultura, as artes em geral, têm sido a companhia e entretenimento de muitos. A pensar nisso, a Station decidiu lançar na internet algumas das curtas-metragens que produziu e realizou, por isso, esteja atento para os próximos projectos cinematográficos que colocaremos ao dispòr das pessoas. 

SINOPSE

George é uma curta metragem de comédia filmada em Londres em 2017. Tudo o que o George queria era poder comer o seu hamburguer.

 

COMPETIÇÕES DO CURTAS VILA DO CONDE COM EXTENSÃO DO PRAZO DE INSCRIÇÕES

A 28ª edição do Curtas Vila do Conde, inicialmente agendada para as datas de 11 a 19 de julho de 2020, foi adiada devido ao surto de COVID-19. A incerteza sobre a situação em Portugal e na Europa, nos próximos meses, fez com que a organização do festival decidisse desde já pelo seu adiamento, apontando os dias 3 a 11 de outubro para a sua realização.
Com esta decisão, o prazo para a inscrição de filmes nas competições foi estendido e é agora 30 de junho de 2020 (excepto a competição Curtinhas, que mantém o deadline de 30 de abril de 2020). Os filmes podem ser submetidos via online, nas várias plataformas disponíveis. Aceitam-se novas curtas-metragens produzidas em 2019 ou 2020, de duração máxima até 60 minutos (salvo exceções assinaladas), em várias categorias e nas diversas competições do festival.
Consulte o regulamento e outras informações aqui: http://festival.curtas.pt/inscricoes/

terça, 07 abril 2020 14:57

Fraude digital aumenta em portugal


Principais esquemas fraudulentos envolvem aplicação MB Way, SMS dos CTT, e-mails da EDP e MEO, passatempos da Worten ou Continente e venda de material de proteção à COVID-19

No primeiro trimestre de 2020, o Portal da Queixa (PQ) registou 1377 reclamações relativas a esquemas de burla e fraude, representando um aumento de 34% face a 2019, onde foram registadas apenas 1024 reclamações.

Desde o início do Estado de Emergência, a maior rede social de consumidores em Portugal, registou 356 reclamações enquadradas em burlas e fraudes, um ritmo de 16 queixas por dia. Em tempos confinamento e maior exposição do consumidor às plataformas digitais, o Portal da Queixa alerta a comunidade online para as 5 principais burlas que estão a ser praticadas.

Em matéria de consumo, o confinamento decretado veio expor o consumidor, mais do que nunca, por necessitar de utilizar com maior frequência as plataformas digitais, colocando-o numa posição de maior vulnerabilidade. A tendência de casos de burla e fraude será crescente, segundo vaticina o Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa e embaixador da Comissão Europeia para os Direitos dos Consumidores.

“Esta será certamente uma tendência crescente nos próximos tempos, tendo em conta a obrigação da permanência dos consumidores em casa, alterando assim o seu comportamento e hábitos de consumo, que direciona o fluxo de compra para os canais digitais. Nesta matéria, infelizmente os consumidores portugueses ainda detêm pouca literacia digital, tornando-os muito vulneráveis a estes esquemas de burla” explica, defendendo que: “é fundamental que exista uma ação concertada com os vários organismos de proteção aos consumidores, na massificação de informações e conhecimento, que permitam um consumo online mais seguro e transparente.”

De referir que, o PQ já está no terreno, com várias ações de alerta junto dos consumidores e, brevemente, lançará uma plataforma com um movimento social, em parceria com outras entidades como o OLX Portugal e a SIBS, para potenciar o aumento da literacia digital dos consumidores portugueses.

As queixas mais apresentadas são por fraudes que se verificam através de pagamentos online, esquemas fraudulentos através de SMS, roubos de identidade e dados pessoais, lojas online fictícias, phishing e outros tipos de cibercrimes.

Segundo Pedro Lourenço, “o objetivo do movimento social será a estreita colaboração, troca de informação e sinergias entre várias entidades, com o propósito de se criarem mecanismos de aprendizagem que ajudem os consumidores a evitarem este tipo de situações ou a minimizarem o impacto psicológico e económico das mais variadas burlas existentes.”

Assim, durante esta fase de pandemia em Portugal, o PQ alerta toda a comunidade online para as 5 principais burlas que estão a ser praticadas

Roubo de montantes financeiros através da aplicação da SIBS - MB WAY

Os números do Portal da Queixa apontam para um aumento destes casos, na ordem dos 391%, face ao período homólogo. Nos três primeiros meses deste ano, foram registados na plataforma 118 casos, (entre janeiro e março de 2019 foram 24 casos).

A solução de pagamento MB WAY da SIBS é extremamente segura e com uma enorme aplicabilidade no dia-a-dia dos consumidores. Aliás, tem vindo a ser essencial nesta fase de confinamento dos portugueses e de combate ao vírus Covid-19, nomeadamente, para a aquisição de bens de consumo, mantendo a possibilidade de distanciamento social, entre o comprador e o vendedor. Contudo, são muitos os consumidores que ainda não têm o conhecimento suficiente acerca da forma correta de utilização desta aplicação, sendo por isso frequentemente alvo de burla no processo de venda de objetos entre particulares.

O método utilizado, continua a ser o mesmo, ou seja, o potencial comprador - que é o alegado criminoso -, convence a vítima (interessada no produto à venda), que apenas o pode pagar por MB WAY. No seguimento, convida a vítima a dirigir-se a uma caixa MULTIBANCO e colocar o seu cartão bancário, acedendo ao registo na aplicação MB WAY. Nesse momento, consegue de forma ardilosa que a vítima coloque o número de telefone do alegado burlão, como titular do acesso à conta, permitindo a este o levantamento imediato de montantes em dinheiro. De seguida, desliga o telefone, deixando a vítima sem dinheiro na conta.

Mensagens de texto (SMS) e emails fraudulentos em nome dos CTT
Têm sido vários os consumidores que, nos últimos dias, receberam um e-mail ou uma SMS em nome dos CTT, com falsos conteúdos para efetuarem o pagamento de uma taxa, no sentido de desbloquear a encomenda de um equipamento telefónico de última geração, que aguarda na alfândega. Ora, o valor proposto, além de muito inferior, ao equipamento, alega igualmente que foi ganho num concurso e, por apenas 1€, o consumidor poderá receber esta fantástica oferta. Será necessário reforçar que o intuito do endereço da ligação para efetuar o pagamento, remete para um site onde o principal objetivo será recolher todos os dados bancários que o utilizador irá fornecer, com vista à utilização indevida destes dados, para acesso às contas bancárias, através do conhecido processo de phishing.

Mensagens de texto (SMS) e e-mails fraudulentos para pagamento imediato de dívida com a EDP ou a MEO
Têm sido relatados casos de consumidores que são aliciados ao pagamento de uma dívida inexistente, tanto ao fornecedor de eletricidade ou de telecomunicações, com um prazo muito reduzido - normalmente refere “nas próximas horas” -, sob pena de ser efetuado o corte do serviço.

Um ponto em comum nestas comunicações está relacionado com o horário em que são enviadas, normalmente ao final do dia, com vista a que o consumidor (vítima) não tenha a possibilidade de contacto com o prestador e assim efetue o pagamento, com receio de não ficar privado do serviço.

É importante que os consumidores não efetuem nenhum pagamento que não seja enviado diretamente pelo fornecedor do serviço. Para avaliar a fiabilidade do remetente, os consumidores devem estar atentos a sinais como o e-mail usado para o envio, a forma de escrita, se não contém erros ou traduções com erros gramaticais, a forma de pagamento, mesmo que por referência bancária, deve sempre pesquisá-la no Google para despistar a burla através da opinião de alerta de outros consumidores. Em caso de dúvida, não pague e remeta a queixa para as autoridades policiais.

Envio de Mensagens de texto (SMS) com passatempos fraudulentos em nome da Worten ou Continente
A forma enganosa no envio de uma mensagem de texto (SMS) dando a notícia de que é vencedor(a) de um passatempo/sorteio e ganhou um prémio, é antiga, mas continua a ser utilizado com bastante frequência junto dos consumidores portugueses.

O objetivo é levar a vítima a pensar que foi vencedora de um sorteio e para recolher o prémio, basta clicar numa ligação que a levará para o preenchimento de um formulário. Ora, este formulário servirá para roubar dados pessoais e bancários, como também efetua a subscrição para o recebimento de SMS’s de valor acrescentado com um custo a rondar os 5€ semanais e serem debitados do saldo de telecomunicações da vítima. Tanto a Worten como o Continente, já alertaram no devido tempo, que não efetuam sorteios e/ou passatempos nestes moldes e aconselham sempre os consumidores a consultarem os sites e redes sociais das marcas, por forma a validarem os passatempos que estarão a decorrer. É aconselhado que nunca efetuem o preenchimento de dados em sites que não conheçam. No caso de desconfiarem da fonte, devem sempre abandonar o site e efetuar queixa nas autoridades policiais.

Venda de equipamentos de proteção individual para o combate à Covid-19

Devido à escassez de produtos como máscaras de proteção nas farmácias e supermercados e ao elevado aumento do preço destes produtos, são muitos os consumidores que se arriscam a comprar pela internet. Ora, não é aconselhável a compra destes produtos em sites que não apresentem as mínimas garantias de idoneidade na entrega e no preço praticado. Exemplo disso, são sites estrangeiros que vendem, não só, máscaras de proteção, como gel desinfetante e medicamentos que combatem o vírus. Este tipo de endereços online são totalmente desaconselhados e devem ser denunciados às autoridades nacionais e europeias pela gravidade da prática criminal que praticam. Para isso, será necessário estar atento a sinais, como a falta de certificado de segurança dos sites (vulgo cadeado verde que se encontra na barra de endereço do navegador de internet), procurar por contactos reais como telefone e morada física da empresa vendedora (de forma a poder identificar caso seja necessário) e, principalmente, efetuar uma pesquisa exaustiva nos motores busca e no Portal da Queixa, na tentativa de encontrar testemunhos de outro consumidores, com vista a validar a idoneidade do site em causa.

Neste especial período que o país e mundo atravessam, Pedro Lourenço realça que “é fundamental que os consumidores estejam muito atentos a novas formas de burla, tendo em conta a massiva migração dos seus hábitos de consumo para os canais digitais, sem o tempo necessário para uma aprendizagem que permita adquirir experiência e conhecimentos de segurança para uma navegação consciente.”

quinta, 02 abril 2020 11:56

Aos valentes

Olá, eu sou a Maria de Vasconcelos.

Sou médica psiquiatra, e alguns conhecer-me-ão de “As canções da Maria”.

Esta canção, “Aos Valentes”, é sobre a coragem, de todos nós, numa bolha, e sobretudo dos profissionais de saúde que lutam todos os dias pela vida, a nossa vida.
Quero muito ajudar!

Vários amigos se juntaram a nós e gostávamos que muitos mais se juntassem.
Vamos ajudar a NAU, fábrica de capacetes, a produzir viseiras, muito importantes para a proteção.
As viseiras da NAU são reutilizáveis. Poder lavar, desinfetar e voltar a usar também é muito importante!

Criei uma campanha para quem puder e quiser ajudar.
Todas as contribuições são bem vindas.
É só ir aqui, é fácil e rápido.

https://ppl.pt/covid19/aosvalentes

O dinheiro vai diretamente para a fábrica, e as viseiras vão diretamente para os serviços que as forem requisitando.

Muito e muito e muito OBRIGADA!!

Partilhem esta canção!
E cantem connosco!
Aos Valentes!

quinta, 02 abril 2020 11:28

Sebenta de quarentena

  

Quarenta ideias para aproveitar o tempo, nomeadamente, em período de isolamento obrigatório da população com foco nos idosos.

Os idosos, apesar de representarem o principal grupo de risco Covid-19, especialmente, no que diz respeito ao risco de morte, também estão a ser assolados por um isolamento psicológico e social ainda maior do que normalmente já acontece, infelizmente.

Isolamento partilhado por quase toda a população, neste momento, e que os responsáveis pela plataforma artística Mistaker Maker querem ajudar a minimizar utilizando a ferramenta com que trabalham diariamente, a arte.

Para Lara Seixo Rodrigues, fundadora da Mistaker Maker, este é um tema especialmente próximo. Tal como na altura em que lançou o workshop de street art para idosos - Lata 65 - também agora, juntamente com um grupo de 40 artistas, decidiu atuar, contribuindo, de forma voluntária, para a inclusão e acompanhamento dos mais idosos neste momento tão difícil.

O desafio lançado pela Mistaker Maker aos vários autores foi simples, criar ‘algo’ capaz de despertar empatia num idoso, de arrancar um sorriso, de o levantar do sofá, de firmar um pensamento positivo ou de lhe alimentar a alma nos dias estranhos que estão a viver, cimentando a certeza de que há alguém, perto ou longe, a cuidar de si.

40 autores de várias áreas e backgrounds artísticos: ilustradores, artistas plásticos, calígrafos, escritores, artistas urbanos, arquitetos aceitaram o desafio e criaram a Sebenta da Quarentena, com 40 ideias para aproveitar o tempo.

Desta iniciativa participam autores como ±MaisMenos±, Aheneah, AkaCorleone, André Letria, José Lourenço, Mariana a miserável, Nevesman (autor da capa), Pantónio, entre muitos outros – lista completa no fim do documento.

Esta Sebenta da Quarentena, apresenta-se assim como um compêndio de ilustrações para pintar, com histórias, mensagens, 'inícios de conversa', quebra-cabeças, palavras ilustradas, ‘novas formas de comunicação’ entre idosos e o mundo, entre avós e netos. Mensagens que nas suas mais variadas formas podem iniciar um contacto, conversação, uma aproximação, mas também ser enviadas / trocadas pelas compras ou entregas que são feitas em nas casas destes idosos por voluntários, etc.

No fundo, a Sebenta reúne conteúdos capazes de ocupar o tempo e alimentar a alma dos que enfrentam uma enorme solidão.

Pretende-se que esta Sebenta seja impressa e distribuída gratuitamente pelos idosos que têm apoio das Juntas de Freguesia a nível nacional através de voluntários, mas a Sebenta também está disponível online num website especialmente criado para o efeito no qual é possível descarregar este conteúdo para que as pessoas (incluindo os mais idosos) que têm acesso às novas tecnologias possam também participar deste movimento de inclusão associada às artes.

Trata-se de uma iniciativa sem fins lucrativos, construída integralmente através de doações da própria Mistaker Maker, dos autores e das empresas que se associaram a este projeto sendo que os organizadores da Sebenta da Quarentena esperam ver o número de instituições associadas e território coberto pela ação crescer durante as próximas semanas.

A equipa Mistaker Maker incentiva também que as pessoas partilhem nas redes sociais, caso tenham acesso a essas ferramentas, os conteúdos que forem criando utilizando a hashtag #sebentadaquarentena. Se isso não for uma possibilidade, podem sempre enviar os conteúdos à equipa Mistaker Maker através do website Sebenta ou redes sociais para que os organizadores desta iniciativa possam partilhar os resultados desta iniciativa publicamente, incentivando, também desta forma, a inclusão.

Clique na imagem para aceder ao website criado especialmente para o projeto

https://sebentadaquarentena.com/

 

AUTORES
±MaisMenos±
Adamastor
Aheneah
AkaCorleone
Ana Aragão
Ana Seixas
André da Loba
André Letria
António Jorge Gonçalves
Bárbara R.
Catarina Glam
Clara Não
Cláudia Guerreiro
Francis. co
GonçaloMar
Halfstudio
Hugo Makarov
João Fazenda
João Varela
José Lourenço

Júlio Dolbeth
Laro Lagosta
Los Pepes Studio
Malibu Ninjas
Mantraste
Mariana a miserável
Mariana PTKS
Mariana Rio
Marta Monteiro
mynameisnotSEM
Nevesman
Nicolau
Nuno Sarmento
Oker
Pantónio
Samina
Tamara Alves
Tiago Galo
Vasco Costa
Walking Fearless
PARCEIROS / APOIOS

Sara Does PR _ agência de comunicação
Viarco _ material de pintura e desenho para acompanhar a Sebenta
Graph & Co. _ gráfica área Covilhã
Publirep | Publicidade & representações, Lda. _ gráfica área Lisboa
Paço Print _ gráfica área do Porto

Continuamos à procura de mais empresas que se associem à iniciativa, para a Sebenta poder chegar a mais idosos. Os contactos devem ser feito via Website Sebenta da Quarentena.


MANIFESTO

Esta Sebenta da Quarentena não é um bloco de rascunhos (mas poderá vir a ser!).
Esta Sebenta da Quarentena não é um livro de instruções (apesar de lhe deixarmos algumas).
Esta Sebenta da Quarentena não é uma enciclopédia, na qual encontramos todas as respostas fechadas (sendo que para isto que estamos a passar, ainda ninguém as tem!).
Esta Sebenta da Quarentena também não é um caderno de exercícios (se bem que alguns o farão exercitar bastante o corpo e a mente!).
Esta Sebenta da Quarentena não é uma mera sebenta com ideias de como aproveitar muito bem o seu tempo, durante os próximos dias na sua casa.
Esta Sebenta da Quarentena é sim, a forma mais simples e sentida que nós (40 autores e mais alguns) arranjámos, de lhe dizermos que nos preocupamos consigo (sim consigo!).
Esta Sebenta da Quarentena foi o modo que arranjámos, de ao longe, espalhados um pouco por todo o País, lhe dizermos que estamos por perto, bem perto de si.

Carta Aberta Dirigida a Autarcas, Presidentes de Câmara e de Junta de Freguesia e Responsáveis pelos pelouros da Cultura em Executivos Municipais e de Freguesia

Exmos. Senhores,

Os subscritores desta missiva são agentes que, em nome e representação dos artistas, contratam com promotores (públicos e privados) espetáculos de natureza artística.

Estamos cientes do papel insubstituível que as autarquias têm atualmente, e tiveram historicamente, desde a instituição do poder local democrático, na dinamização e promoção da cultura, não só mas também, através da extraordinária oferta cultural de espetáculos, promovidos pelas autarquias locais, de Norte a Sul de Portugal Continental e nas Regiões Autónomas.

Sabemos e não olvidamos que é graças às autarquias que a esmagadora maioria dos portugueses tem acesso (tantas vezes gratuito ou a preços muito abaixo do valor de mercado) a espetáculos de música, teatro, dança e outras artes performativas.

Toda essa fervilhante atividade cultural, com uma concentração típica nos períodos da Primavera e Verão, é não só um impulsionador de acesso e divulgação da Cultura, como também um motor económico essencial de largos milhares de artistas e outros profissionais e de centenas de empresas que se dedicam a atividades direta ou indiretamente relacionadas com o mundo do espetáculo.

Nesta fase em que todo o nosso setor, já de si tipicamente fragilizado e descapitalizado, se vê a braços com uma impossibilidade legal e ética de desenvolver a sua atividade, e em que tantos espetáculos promovidos por autarquias locais foram ou virão brevemente a ser cancelados, vimos apelar à vossa iniciativa, solidariedade e deveres (que antes de serem jurídicos serão éticos) para com toda a comunidade cultural e que – apesar do contexto adverso – sejam fiéis ao vosso papel insubstituível de promoção do mercado cultural.

O governo publicou, esta quinta feira o decreto-lei 10-I/2020, de 26 de março, que Estabelece medidas excecionais e temporárias de resposta à pandemia da doença COVID-19 no âmbito cultural e artístico, em especial quanto aos espetáculos não realizados.

Este diploma começa por estabelecer um princípio geral de reagendamento (que para datas que ocorram no prazo de um ano após a data inicialmente agendada) princípio esse que, pela nossa parte tudo faremos para cumprir, estando certos que as autarquias cumprirão, “de boa fé” (como consta do diploma) esse mesmo princípio, sem prejuízo da nova data dever ser acordada entre o promotor e os agentes culturais.

Tal reagendamento poderá ser efetuado após o termo do estado de necessidade ou das medidas inibitórias, proibições e orientações das autoridades de saúde pública que deram origem ao impedimento da realização do espetáculo, na primeira data agendada.

Mas o mesmo decreto-lei vai mais longe e – através da derrogação excecional de normas aplicáveis à contratação pública, operada pelo seu artigo 11.º - permite aos organismos públicos (incluindo as autarquias locais) o pagamento antecipado dos valores acordados.

Nesse sentido vimos apelar a que as autarquias, fazendo uso daquele dispositivo legal e correspondendo ao apelo de todo este setor, efetuem o pagamento parcial de cachets e outros valores acordados (todos, obviamente, orçamentados e comprometidos) em relação aos espetáculos que não possam ser realizados em virtude da pandemia do vírus COVID-19.

Pela nossa parte, e sempre que o reagendamento seja possível, estamos disponíveis para aceitar o recebimento de tais quantias (cujo valor propomos seja por regra equivalente a 30% do valor acordado), como sinal e princípio de pagamento em relação à prestação artística que deverá ocorrer, futuramente, na data para a qual o espetáculo vier a ser reagendado.

Desta forma, e través da aplicação do regime do sinal, garantirão também as autarquias o nosso compromisso de reagendamento.

Esta é, acreditem, a única forma de, no imediato as autarquias poderem contribuir ativamente para a sobrevivência de artistas, profissionais e empresas do setor, mantendo – também nesta circunstância – a sua vocação e papel insubstituível na promoção e acesso à cultura.

Tal é o nosso apelo!

Com os melhores cumprimentos

Os Agentes

21 Music Unipessoal, Lda
46A HAUS Unipessoal, Lda
A Chave do Som Management e Produção de Espectaculos Lda
aFirmação Lda
ALAIN VACHIER UNIPESSOAL, LDA
ALG Eventos Lda
AMG Music
Andamento Produções
Ao Sul do Mundo CRL
Aquele Abraço
Arruada Unipessoal Lda
Azáfama - Produções Artísticas, Lda.
Bairro da Música, Lda
BAM! BOOKINGS AND MANAGEMENT
Biosom Electro Acústica Aplicada Lda
Baguera Brand
Bridgetown Talent Agency
Carlos Veloso Music & Events Lda
CCER MAIS, CRL
Conquistapadrão Produções Unipessoal, Lda / Grupo Chiado
Contos da Praça
Costumes e Serenatas
Décima Colina, Lda
Dose de Sucesso Lda
Doubleclick, lda
Dyam
Esfera Curiosa, Lda
Factos e Adições
Fado in a Box
Followspot, Unipessoal Lda
Força de Produção
H2N
HM
I AM Event Production & Brand Consultancy
João Vaz Silva, Unipessoal Lda
La Folie Gift , Lda
LadoOposto Produções Unipessoal, Lda
Locomotiva Azul - Produção & Marketing Cultural
Lovers & Lollypops Unipessoal LDA
Match Attack, Lda
MeioTermo
Metropolitana Edições Discográficas Unipessoal Lda
MOYG - Made of You Group Lda
Musicpipas Arte Lda
Nova Ação Lda
Pedro Galhoz prd.unip.lda
PG Booking
Praça das Flores, Produção de Espectáculos, Lda.
Primeira Linha Lda
Primo 360 lda
Produtores associados lda
Radar dos Sons - Produções Culturais Lda
Realize (Primeira Fila Entretenimento)
Recordbutton unipessoal, Lda
Restart Events
Ruela Music Management Lda
Sente Isto
SIM lda
Sons em Trânsito
Splendid Motivation LDA (J&M Eventos)
Think Music
Uguru
Universal Music Portugal
Vachier & Associados - Produção de Espectáculos, Lda
VS Management
Xutos & Pontapés Produções Musicais
Zona B Events

Artistas Representados

47 Soul
9 Miller
A Garota Não
A-gold
Adam Naas
Adriano Jordão
Afonso Cabral
Agir
Agnes Nunes
Akua Naru
Alceu Valença
Alcione
Aldina Duarte
Alexander Search
Alexandra Lencastre
Algumacena
Alma Nuestra
Amalia Hoje
Amaro Freitas - Brasil
Amaura
Amélia Muge
Amor Electro
Ana Bacalhau
Ana Bola
Ana Brito e Cunha
Ana Garcia Martins
Ana Moura
Ana Vilela
Anaquim
Anavitória
André Barros
André Henriques
André Sardet
Anselmo Ralph
Anthony Joseph
António Chainho
Antonio jose
Antonio Silva
António Zambujo
April iVy
Arat Kilo
Armandinho
Arnaldo Antunes
As Canções da Maria
Avishai Cohen
Baloji
Banda do Filme “Variações”
Bárbara Bandeira
Bárbara Tinoco
Barmer Boys
Bateu Matou
Beatriz Gosta
Beautify Junkyards
Bebel Gilberto
Bellbarbie
Belo Manto
Ben & The Pirates
Benjamim
Benne
Best Boy Grip
Best Youth
Biig Piig
BK
Blasted Mechanism
Blind Zero
Blu Samu
BNegão
Bombino
Boss AC
Branko
Bruna Ene
Bruno Chaveiro
Bruno Nogueira
Bruno Pernadas
Buika
Bulimundo
C4 Pedro
Cachupa Psicadélica
Cais Sodré Funk Connection
Camané
Canções de Roda
Capicua
Capitão Fausto
Carla Prata
Carlão
Carlos Bica
Carlos Cunha
Carlos Leitão
Carolina Deslandes
Caruma
Casal da Treta
Cassete Pirata
Catarina Munhá
César Mourão
Chassol
Cherry
Chicago
Chong Kwong
Chrysta Bell
Clã
Claudia Pascoal
Club Makumba
Co$tanza
CocoRosie
Conan Osiris
Cordel
Coro Gulbenkian
Costa Net
Coucou Chloe
Crise
Cristina Branco
Cristóvam
Cuca Roseta
D.A.M.A.
D'Alva
Da Weasel
Danças Ocultas
David Fonseca
Dead Combo
Debashish Bhattacharia
Deepway
Deixem o Pimba em Paz
Dela Marmy
Dengaz
Dengue Dengue Dengue
Deolinda
Derek Griper
Descobrimentos
DEUSA
Diamantina Rodrigues
Diana Castro
Diana Martinez & The Crib
Diana Vilarinho
Dino d’Santiago
Diogo Almeida
Diogo Nogueira
Diogo Piçarra
Ditch Days
DJ Dadda
DJ Glue
DJ Patife
Dom La Nena
Domi
Dona Onete
Double Cheese
Drik Barbosa
Duarte
Dulce Pontes
Dupla Mete Cá Sets
Edu Mundo
Edwin Vibes
El Sur
Elas
Elas e o Jazz
Elisa
Elisa Rodrigues
Elza Soares
Emersson Ceará
Emicida - Brasil
Emmy Curl
Eneida Marta
Enes
Enoque
Esteves
Estraca
Expensive Soul
Ezra Colletive
Fado Bicha
Faiz Ali Faiz
Fandango
Fantasma
Faro
Fausto Bordalo Dias
Federico Albanese
Felguk
Fernanda Serrano
Fernando Barroso
Fernando Daniel
Fernando Ferreira
Fernando Tordo
Ferro Gaita
Festas M80
Few Fingers
Filho da Mãe
Filipa Vieira
Filipe Keil
Filipe melo
Filipe Raposo e António Jorge Goncalves/4 mãos
Fingertips
First Breath After Coma
Flak
Flor do Sal
Fogo Fogo
Força Suprema
Foreign Poetry
Francisco Sales
Francisco, el hombre
Frankie Chavez
Fred
Freddy Locks
Gaiteiros de Lisboa
Gato Pintor
Gato Preto Majaz Bandadriatica Harouna Samake Baba Zula
General D
Ghetto Kumbé
Ghizlane Hamadi
Gilmario Vemba
Gisela João
Glockenwise
GNR
God
Golden Slumbers
Gregory Porter
Gulsin Onay
Gume
Gustavo Miranda
Gwyn Ashton
Gyedu-Blay Ambolley
Haj Younes
Hauschka
Héber Marques
Helder Moutinho
Herbie Hancock
Hevvy X Fukk
Hill´s Union
HMB
Holly
Hugo Sousa
Ibrahim Ferrer jr.
Ifriqiyya Electrique
Iguana Garcia
Ilhan Ersahin
Ines Duarte
Irene Lima
Irma
Isaura
Jacqui Naylor
Jafumega
James dos Reis
James Rhodes
Janeiro
Jerónimo
Jibóia
Joana Almeida
Joana Espadinha
João Elias
João Frade
João Gadelha
João Pedro Pais
João Pequeno
João Só
João Ventura
Joaquim Monchique
Joe Kay
Joel Ricardo Santos
Joep Beving
John Legend
Jon Luz
Jónatas Pires
Jonas
Jordan Rakei
Jorge Ben Jor
Jorge Fernando
Jorge Palma
JP Simões
Jposé Pedro Gomes
Julinho KSD
Júlio Pereira
Júlio Resende
Jupiter & Okwess
Kamasi Washington
Karetus
Kastrup
Kate Mirson
Katia Guerreiro
Keep Razors Sharp
Kel Assouf
Kell Smith
Kelsey Lu
Kimi Djabaté
Kindness
King Kami
KJorge Mourato
KOKOROKO
Kronos Quartet
Kyle Eastwood
L-Ali c/ Vulto
L.U.M.E. - Lisbon Underground Music Ensemble
La Chiva Gantiva
Labaq
Lagum
Laton
Laurent Filipe
LEFT.
Lena D'Água
Lenita Gentil
Les Crazy Coconuts
Lhast
Lhast
Lina
Lina & Raul Refree
Lince
Linda Martini
Liniker e os Caramellows
Lionel Richie
Lisbon Poetry Orchestra
Lloyd Cole
Lord XIV
Los Mirlos
Los Wemblers de Iquitos
Luca Argel
Ludovico Einaudi
Luís Franco-Bastos
Luis Pucarinho
Luís Sequeira
Luis Severo
Luísa Sobral
Lum
Macsim Jeffrey
Maddruga
Mafalda Veiga
Magano
Mais respeito que sou tua Mãe
Malgorzata Walevska
Mallu Magalhães
Mamani Keita
Manel Cruz
Manuel Guerra
Mão Morta
Marcelinho da Lua
Marcelo Camelo
Marcelo D2
Márcia
Marco Braulin
Marco Cuevas
Marco Rodrigues
Marcos Valle
Marenostrum
Maria Alice
Maria Bradshaw
Maria de Medeiros & The Legendary Tigerman
Maria del Carmen Fernandez
Maria Emília
Maria Gadu
Maria João & Budda Power Blues
Maria João Ogre Electric
Maria Rueff
Mário Barreiros Kind Steps
Marlon
Marta Carvalho
Marta Miranda
Marta Peneda
Marta Ren
Martin Harley
Marvel Lima
Matay
Matilde Castro
Mayra Andrade
Mazgani
Mazgani com Sean Riley
Meera
Mel
Melim
Melingo
MGDRV
Mia Rose
Michael Nyman
Miguel Angelo
Miguel Araújo
Miguel Guilherme
Mike Ladd
Mila Dores
Minta & The Brook Trout
Mirai
Mirror People
Mishlawi
Misia
Miss Susie and The Boys
Mito
Moçoilas
Momo
Mon Laferte
Monday
Moonlight Benjamin
Moonspell
Moses Boyd
Mundo Cão
Murais
Murta
Mutrama
Myles Sanko
Natiruts
Nekya & Multa Collective
Nelo Carvalho
Nelson Ebo
Nelson Freitas
Neneh Cherry
Neon Soho
Nice Weather For Ducks
Nina Miranda (Smoke City)
Nitin Sawhney
No Maka
Noble
Noiserv
Nuno Ribeiro
O Gajo
O Terno
Obaa Sima
Olafur Arnalds
Oleg Widman
Orchestre Poly Rythmo Cotonou
Orelha Negra
Orkesta Mendonza
Ornella
Orquestra Bamba Social & Tiago Nacarato
Orquestra do Norte
Orquestra Gulbenkian
Orquestra Promenade
Os Azeitonas
Os Poetas
Os Quatro e Meia
Otim Alpha
Paião
Papillon
Paula Oliveira
Paulinho Moska
Paulo de Carvalho
Paulo Praça
Paus
Pedro
Pedro Abrunhosa
Pedro Burmester
Pedro Caldeira Cabral
Pedro de Castro
Pedro de Tróia
Pedro e os Lobos
Pedro Jóia
Pedro Meireles
Pedro Moutinho
Pedro Teixeira da Mota
Pedro Tochas
Pedro Vidal
Penguin Cafe
Peste & Sida
Peter Bradley Adams
Peter Broderick
Peter Sandberg
PK
Planet Hemp
Playing For Change
Plutonio
Poetry Ensemble
Pongo
Ponto de Equilíbrio
Postcards
Primitive Reason
Progressivu
Putzgrilla
Quinta do Bill
Raashan Ahmad
Rael
RAMP
Raul Midon
Raul Refree
RAY
Real Combo Lisbonense
Regina Freire
Regula
Rejjie Snow
Remna
Renato Albani
Renato Junior
Resistência
Ricardo de Sá
Ricardo Toscano & João Barradas
Richie Campbell
Rio Lisboa
Riot
Rita Guerra
Rita Redshoes
Rizzo
Rocío Márquez
Rodrigo Cuevas
Rodrigo Leão
Ronda dos Quatro Caminhos
Rosebonbon
RØYAL
Rubel
Rui David
Rui Massena
Rui Orlando
Rui Pregal da Cunha
Rui Sinel de Cordes
Rui Veloso
Saídos da Casca
Sain
Salvador Martinha
Salvador Sobral
SAMUEL ÚRIA
Sara Correia
Scott Matthew
Scott Matthews
Sean Riley (solo)
Sean Riley & The Slowriders
Sebastião Antunes & Quadrilha
Selma Uamusse
Sérgio Godinho
Sétima Legião
Sexo, Drogas e Rock'n Roll
Shaka Lion
Shaped Noise & Pedro Maia Live AV
Silva
Sílvia Pérez Cruz
Sincera.Mente
Slow J
Sofia Escobar
Sofia Hoffmann
Sonido Gallo Negro
Sopa de Pedra
Soraia Ramos
Supa Squad
Surma
Susana Félix
Syro
Tainá
Tânia Oleiro
Tape Junk
Tatanka
Taylor McFerrin
Teresinha Landeiro
Terra Livre
Teté Alhinho
The Black Mamba
The Gift
The Happy Mess
The Legendary Tigerman
They Must Be Crazy
Throes + The Shine
Tiago Bandeiras
Tiago Nacarato
Tiago Nunes
Tim
Tim Bernardes
Tindersticks
Tipo
Tochas&Telmo
Tomara
Tord Gustavsen Trio
Totó La Momposina
Toty Sa’Med
Travis Birds
Três Bairros
Trêsporcento
Trikk
Twin Transistors
Ultraleve
Vaarwell
Vado
Vai e Vem
Valas
Valete
Valter Lobo
Van Breda
Vasco Vilhena
Vee Mukarati
Véronique Guillo
Vicente Palma
Vila Martel
Virgem Suta
Vitão
Vitorino
Viviane
Vladimir Baykov
Von Di
Waze
We Find You
Whales
Wilson Honrado
Wim Mertens
X-Wife
Xana Toc Toc
Yami Aloelela
Yann Tiersen
Yazz Ahmed
Yellow
Yossi Fin & Bem Aylon
You Can't Win, Charlie Brown
Yuri Nr 5
Xutos e Pontapés
Zé Ferreira
Zé Manel
Zeca Medeirosn

domingo, 29 março 2020 20:29

Home stage festival

Num tempo de incertezas eis que surge a nova alegória da caverna, surge mais um movimento musical, emitido no facebbok, para ouvir , apreciar e descontrair a partir do dia 30 de Março. 

Num mundo enclausurado numa caverna, chegam-nos projecções de sombras vindas do exterior. Tal como na Alegoria da Caverna, interpretamos como medos as sombras que nos chegam aos écrans, sejam eles de TV ou dos computadores. É um tempo em que a reflexão dotada do necessário espírito crítico se impõe.
É um tempo em que não podemos claudicar diante duma batalha que ameaça vir a consumir a Humanidade e a Civilização enquanto obra maior do sentir colectivo;
Os Artistas performativos, sempre que sinos tocaram a rebate, mostraram ser, ao longo da História, arautos de mensagens solidárias e sempre souberam vestir a camisola de causas que subscreveram como suas;
A pandemia do COVID19 veio obrigar a um conjunto de medidas que forçam a população ao recolhimento;
A mortalidade do vírus faz-nos questionar se não estaremos a revisitar períodos da História que tiveram efeitos devastadores, dos quais salientamos a Lepra, a Peste Negra, o Tifo e muitas outras que igualmente causaram danos no tecido social;
No entanto, no caso concreto do COVID19, nunca passámos por uma experiência como esta. Assim, impõe-se que os Artistas Performativos, em seus nomes e das equipas que com eles trabalham (e que constituem uma vasta camada da população), encontrem novas formas de prestarem os seus serviços ao Público enquanto entidade primeira a quem devem contas;A Arte, enquanto bem supremo da etapa Evolutiva, é o que nos mais bem caracteriza enquanto espécie. Por outro lado, somos a espécie mais frágil do chamado reino animal.
Todo este imenso e permanente acervo de criação artística pode ficar comprometido inexoravelmente se não o mantivermos alimentado de novas criações.
Mas, para isso, os Artistas necessitam QUEM possa fruir e desfrutar das suas criações.
E esse grande número de Gente está confinado nos seus lares por força de medidas de emergência.
E, logicamente, os Artistas necessitam de se alimentar, pagar rendas de casa, garantir que não lhes será cortada a energia eléctrica nem os serviços básicos, entre os quais está a Internet, que nos permite hoje um patamar possível de socialização.
Este festival,como muitos outros pelo Mundo, visa constituir-se como uma forma alternativa de chegar das casas dos Artistas às casas das pessoas que são o Público, garantindo-lhes o estatuto de Seres Livres, Pensantes e Críticos.
E disso necessitamos TODOS sob risco de, passada a tormenta, não termos entendido nada da lição. Por estarmos distraídos com as sombras.
Importa saber que as sombras que vemos projectadas na parede da caverna devem transformar-se urgentemente em Luz que, ao invés do nos cegar, nos prepare para quando, enfim, sairmos para a rua, possamos continuar a ser um melhor Homo Sapiens Sapiens que, a despeito dos passados nem sempre edificantes, contou no seu número com Aristófanes, Leonardo da Vinci, Maria Callas, Jorge Amado, Beethoven, Simone de Beauvoir, Fernando Pessoa, Ravi Shankar, Débussy ou Strawinsky.

 

Desde o início do surto da Covid-19 e até 22 de março, o Portal da Queixa (PQ) já recebeu mais de 1.000 reclamações relacionadas com a pandemia, uma média de 100 queixas por dia.

Agências de viagens, companhias aéreas, hiper e supermercados, entregas ao domicílio e saúde são os cinco setores que lideram a tabela das reclamações dos consumidores portugueses. As queixas contra a especulação de preços e as burlas online começam também a ganhar expressão.

O PQ está atento à situação e vai reforçar os alertas de literacia digital para proteger o consumidor. A maior rede social de consumidores do país, passa também a disponibilizar gratuitamente, na sua plataforma, uma área para as empresas poderem comunicar diretamente com os consumidores.

De acordo com a análise da equipa do site, as agências de viagens (402) e as companhias aéreas (137) continuam a ser alvo do maior número de reclamações, relativas ao cancelamento dos voos e ao respetivo reembolso. As dificuldades de contacto, são igualmente reportadas em grande quantidade pelo consumidor.

Com a evolução da pandemia e a mudança de comportamentos de consumo, consequência do isolamento social e do Estado de Emergência decretado, os problemas e as reclamações começaram a estender-se a outras áreas, como hiper e supermercados (75), entregas ao domicílio (51), saúde (49), sites de reservas de alojamento (39), operadoras de telecomunicações (39), transportes públicos (30) e comércio eletrónico (30).

Segundo explica Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa, “como se verifica uma alteração comportamental no consumo, por parte dos portugueses, devido à quarentena - que se refletiu no aumentou das compras através da internet -, nomeadamente dos bens essenciais de consumo e outros, as empresas de entregas ao domicílio registaram uma subida abrupta de reclamações, a sua maioria relativas a dificuldades na entrega ou pedidos errados. Também os supermercados continuam a registar um número elevado de reclamações, relativas à dificuldade de acesso aos sites para efetuar a compra e a entrega respetivamente. Foi igualmente notório um volume anormal de reclamações dirigidas a farmácias e espaços de saúde, considerando a venda de produtos desinfetantes a preços exorbitantes.”

Evolução das reclamações relacionadas com a pandemia Covid-19

Setores mais reclamados

Nº Reclamações

Agências de Viagens

402

Companhias Aéreas

137

Hiper e Supermercados

75

Entregas ao domicílio

51

Saúde

49

Sites de Reservas de Alojamento

39

Operadoras de Telecomunicações

39

Transportes Públicos

30

Comércio Eletrónico

30

Serviços Públicos

24

Correio, Transporte e Logística

16

Água, Eletricidade e Gás

13

Ginásios

11

Cultura, Lazer e Diversão

8

Hotéis

7

 

 

Agências de Viagens

Nº Reclamações

eDreams

212

Xtravel

60

Rumbo

29

Logitravel

29

Mytrip.com

17

Travelgenio

15

Gotogate

8

Opodo

6

Kiwi.com

5

 

Companhias Aéreas

Nº Reclamações

Ryanair

69

TAP

47

Easyjet

9

Iberia

4

SATA

3

Wizz Air

3

Air Europa

2

 

Outras Marcas

Nº Reclamações

Uber Eats

34

Auchan

31

Continente

26

CTT

14

CP

14

MEO

13

NOS

12

Farmácias

10

Vodafone

9

Pingo Doce

9

Glovo

7

 

Queixas contra especulação nos preços

A evolução da pandemia tem vindo a fazer disparar os preços de alguns bens essenciais. No PQ, começam também a ganhar expressão as reclamações inseridas neste âmbito.

À maior rede social de consumidores de Portugal, chegam relatos de situações anómalas reportadas ao setor da Saúde (Farmácias) e de outras ofertas camufladas na área das Telecomunicações. “Os consumidores reclamam que o preço do produto, por exemplo, do álcool e do desinfetante, foi amplamente exponenciado devido à relação da procura versus oferta. Verificámos, igualmente, alguns relatos de aproveitamento com ofertas camufladas, nomeadamente por parte de operadoras de telecomunicações, onde referem oferecer determinados acessos ou condições gratuitas, contudo, com a contrapartida de fidelização por mais 24 meses”, revela Pedro Lourenço.

Reforçar combate às burlas online

De acordo com a equipa do Portal da Queixa, as burlas online já começam a surgir e devido à nova condição do consumidor, que está confinado à sua residência, será natural um aumento de reclamações, nos próximos dias, relativas ao comércio eletrónico.

“Todos sabemos que já ocorrem tentativas de burla online, com aproveitamento da condição atual dos consumidores em casa e com acesso à internet. Esta será uma realidade que será amplamente aproveitada pelos alegados burlões, para aliciar os consumidores à utilização de ferramentas que, por falta de literacia digital, estarão vulneráveis a novas formas de burla. O Portal da Queixa tem estado a alertar os consumidores desses perigos e irá reforçar os avisos, nos próximos dias, com vídeos e notícias pedagógicas. Estamos igualmente a desenvolver um movimento social de literacia digital com o OLX como parceiro, com vista a aumentar este conhecimento e ensinar os consumidores a usar a internet em segurança”, destaca Pedro Lourenço.

Aproximar marcas dos consumidores

Com o objetivo de manter todos os consumidores informados ao minuto - de tudo o que está a ocorrer no ecossistema de consumo relativo à situação atual -, o Portal da Queixa criou um feed na sua plataforma, relativa apenas a reclamações, notícias e informações importantes que sejam relativas à pandemia Covid-19.

Dado o encerramento de inúmeros pontos de contacto das marcas com os seus clientes, o PQ passa ainda a disponibilizar gratuitamente, na sua plataforma, a área 'Notícias' para as marcas poderem comunicar diretamente com os seus consumidores.

Pedro Loureço explica: “Como forma de potenciar a comunicação entre as marcas e os consumidores, decidimos disponibilizar gratuitamente todos os nossos canais (site, newsletter e redes sociais) a todas as marcas que pretendam comunicar informações importantes, nomeadamente assuntos como mudanças de horários no Apoio ao Cliente; encerramento de lojas; políticas de devolução e entrega de produtos ou abertura de novos canais de comunicação, entre outros temas, que sabemos que vão gerar impacto na relação entre as marcas e os seus consumidores.”

Adaptação ao “boom” do consumo digital

Estamos perante uma nova realidade no ecossistema de consumo em Portugal, muito diferente de algumas semanas atrás, que tem vindo a mostrar uma enorme capacidade de adaptação, por parte dos consumidores, que fazem um enorme esforço para manter a economia em funcionamento, ao contribuírem para um consumo baseado na transação digital.

Na opinião de Pedro Lourenço, “o grande problema reside na dificuldade de resposta das marcas, que, para além de serem obrigadas a adaptarem-se rapidamente ao enorme volume de solicitações, debatem-se igualmente com a gestão dos seus recursos humanos em teletrabalho, tornando o desafio ainda maior, no que diz respeito à capacidade de satisfazer as necessidades dos seus clientes. Contudo, é essencial alertar que esta tendência de consumo através das plataformas digitais e de comércio eletrónico, vai manter-se nas próximas semanas e meses e irá, certamente, mudar os hábitos dos consumidores portugueses, tornando-os cada vez mais digitais num futuro próximo.”

Um comunicado da Associação de promotores de espectáculos, festivais e eventos (EPEFE) divulga as dificudades sentidas pelos vários organismos e empresas culturais perante o cenário de emergênca e a necessidade de implemantação das medidas económias e sociais de forma imediata.  

Decorrendo do actual Estado de Emergência que ora vivemos, e desde já congratulamos o Governo pela medida tomada, encaramos com muita preocupação o compromisso que tínhamos assumido com o público mas também com os artistas, músicos, bailarinos, actores, cantores, intervenientes do sector como técnicos e outros profissionais das artes performativas, visuais e artísticas. Neste momento estamos todos impedidos de cumprir com o que sempre nos propusemos - contribuir para a oferta cultural de Portugal. É importante frisar que o nosso sector foi o primeiro a ser impedido de trabalhar. Desta forma perdeu 100% da sua facturação uma vez que todas as empresas estão inibidas de exercer a sua actividade.

É neste contexto que a APEFE em representação dos seus associados, mas também de muitos outros agentes, promotores, produtores e várias classes profissionais que actuam na área da economia cultural, tem vindo a encetar várias diligências junto do Ministério da Cultura visando abrir a porta ao diálogo e à tomada de medidas urgentes destinadas a garantir a subsistência das empresas do sector, garantir o mínimo de rendimento aos seus respectivos profissionais bem como medidas tendentes ao relançamento económico do sector cultural após a crise.

Parece-nos essencial que todas estas medidas sejam tomadas em total articulação com o Ministério do Trabalho, Solidariedade/Segurança Social e Ministério da Economia. Acreditamos só assim ser possível encontrarmos soluções mais adequadas e ajustadas às necessidades reais. As soluções apresentadas pelo Governo parecem- nos claramente insuficientes para um sector que parou a 100% a sua actividade. Congratulamo-nos com as medidas ontem apresentadas no âmbito das "regras excepcionais" publicadas pela Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC) no que respeita ao reembolso de bilhetes de espectáculos adiados ou cancelados, que remetem as decisões para um período pós estado de emergência, mas mais uma vez alertamos para o facto de serem medidas insuficientes que parecem apenas adiar problemas. Várias entidades e Autarquias estão diariamente a cancelar eventos. Os espectaculos à venda para final do ano e inicio de 2021 não vendem. Temos que trabalhar em conjunto numa política de reembolso de espectáculos adiados e cancelados que ajude a minimizar os prejuízos catastróficos do sector cultural.

Seguidamente resumimos os pontos que nos parecem vitais para a sobrevivência do sector, dado o quadro que se vive por conta da pandemia da doença Covid-19:

• Garantir acesso imediato a Lay Off total ou parcial para trabalhadores de empresas do sector; o Definir políticas de reembolso de bilhetes de espectáculos adiados e cancelados que protejam o sector, garantindo a sustentabilidade das empresas e empregos. Bilhetes adquiridos são válidos para espectáculos adiados sem obrigatoriedade de reembolso; Política de reembolso para espectáculos cancelados a definir pela tutela e representantes do sector;

• Adiar o pagamento das obrigações fiscais relativas ao pagamento IVA, TSU, IRC e Pagamento por conta até 30 dias após o fim da proibição da realização espectáculos ao vivo, mantendo as empresas declarações de não dívida. Plano de pagamento posterior em duodécimos isentos de juros;

• Criar linhas de crédito e/ou microcrédito imediato em formato simplex com spreads de 1 a 1,5%, e garantidos pelo Estado, para as empresas do sector por forma a garantir a sua sustentabilidade. Assegurar junto da Banca moratórias ao crédito existente: um período de carência de 6 a 12 meses, sem penalização e/ou agravamento das condições contratualizadas;

• Garantir que as autarquias mantêm o orçamento previsto para aquisição de espectáculos em 2020. Também garantir o número de espectáculos previstos, mesmo que isso implique que todos aconteçam no último trimestre do ano. Está aqui em causa mais de 44% da faturação de um sector não subsidiado pelo Estado;

• Aprovar medidas de excecção nos processos de contratação pública garantindo que espectáculos adiados ou cancelados por motivo do Coronavírus, impliquem um pagamento mínimo de 30% imediato, sendo o restante pago no momento de concretização efectiva do projeto. Ou pagamento de 50% caso o espectáculo seja cancelado pelas autarquias, empresas municipais de cultura e teatros públicos. Alertamos que a vasta maioria de espetáculos fechados com Câmaras Municipais/Empresas Municipais não tem contratos assinados até à semana que antecede o mesmo, por iniciativa da própria entidade. O email de confirmação ou anúncio do espetáculo devem neste caso servir de prova de contratação do mesmo;

• Disponibilizar de um cheque cultura no valor de €10 para todos os portugueses residentes em território nacional exclusivo para aquisição de entradas para espectáculos, exposições e museus para apoio à retoma dos hábitos culturais a ser distribuído 30 dias após o fim da proibição

FaLang translation system by Faboba

Eventos


loading...