Um olhar sobre o mundo Português

ptenfrdees

 

h facebook h twitter h pinterest

A semana em que fiz o interrail

Escrito por 

Fazer uma viagem pelas linhas férreas da Europa exige uma certa planificação.

Sempre quis fazer o interrail e comecei a acalentar o sonho de uma viagem de mochila a costas pela Europa fora, desde que ouvi os primeiros relatos de amigos meus que ao longo dos anos enveredaram por este tipo de aventura, em grupos ou sozinhos, pelos caminhos-de-ferro europeus. Depois a entrada de Portugal na União Europeia e mais tarde a abertura do espaço Schengen viajar tornou-se ainda mais fácil e o interrail acompanhou essa mudança. Actualmente em vez de grupos de países que podíamos visitar com um único bilhete, podemos até percorrer 30 nações depedendo do número de dias que pretendemos usufurir do serviço e foi o que decidi fazer, visitar vários países com um único bilhete de cinco dias, na segunda classe.

Sensatamente o site do interrail pede aos viajantes que programem as suas viagens com uma certa antecedência, devido aos constragimentos decorrente das vagas em alguns dos comboios e ainda ter em conta certas despesas extras que provém da obrigatoriedade de reservar lugar em alguns dos percursos mais concorridos. O que eu pretendia? Viajar sem programar nada e ir visitando países ao sabor da aventura. O que aconteceu? Aprendi que vivemos num mundo em que mesmo que não queirámos exige uma certa organização, com isto falo da Europa, e não é que a experiência tenha sido decepcionante, foi bem mais diferente do que tinha imaginado.

Passo a explicar, se pretendem usufruir do interrail da melhor forma possível tem de programar e saber gerir as linhas férreas dos países que pretendem visitar e deixar um pouco de parte a noção romântica da aventura pelo desconhecido.
No meu caso concreto decidi viajar pela Holanda, Alemanha e Bélgica e o que aprendi foi o seguinte:

Para ganhar dias extras, para além dos cinco previamente adquiridos, tem-se que de viajar de noite, porque o dia é para visitar as cidades que escolhemos, mas atenção só devem embarcar nos comboios a partir da meia-noite no respectivo país que pretendemos visitar e nunca antes, porquê? Porque se tiverem de atravessar duas nações como foi o meu caso da Holanda para a Alemanha em já não existem comboios directos, como no passado, o que contava como apenas um dia de viagem, como vão ter de mudar de companhias-de-ferro, significa dois dias no vosso passe do interrail. Se pretendem ganhar esse dia extra devem fazê-lo desta forma, viajar entre essas duas nações ao longo da madrugada, deste modo, mesmo que tenham de mudar de linha férrea chegam ao vosso destino pela manhã e ainda podem usufruir do passe do interrail ao final desse mesmo dia.

O que nos leva à segunda questão, os imprevistos com os quais no contava (embora, o manual do interrail aborde esta questão). Muitos destes comboios nocturnos exigem reservas de lugar e há extras a pagar que podem ir dos 7 até os 40 euros. Passo a explicar, se pretendem ir num vagão de seis lugares que aconselho vivamente, porque com sorte são os únicos ocupantes, podem dormir à vontade nos lugares vazios e pagam a taxa mínima, se pretendem uma espécie de cama, nos vagões-dormitórios, pagam mais, daí os 40 euros e se tiverem muito azar e não arranjam nada disso tem de ir nos lugares ditos normais, pela módica quantia de 7 euros na mesma, como foi o meu caso e aí dormir torna-se um desafio. Conselho de amiga, levem máscaras de dormir por causa da luz forte, tampões para os ouvidos por causa do ruído, repousos para os ombros, comida e muita água e ainda, esqueçam a vergonha e toca a tirar os sapatos para poder esticar as pernas como for, toda a gente o faz ao contrário do que possam pensar.

Segundo conselho que tenho para dar, procurem sempre nas estações de comboios os balcões das viagens internacionais, porque sem excepção são atendidos por funcionárias muito simpáticas que vós ajudam a “navegar” pelo sistema de transportes do respectivo país que visitam, a escolher os melhores horários e reservar lugares. Em todos os países que visitei toda a gente falava inglês e é particularmente muito importante que o façam na Holanda, porque todo o sistema de caminhos-de-ferro funciona digitalmente e quando se tem um bilhete em papel torna-se tudo um pouco mais confuso, porque não se sabe onde e como validar uma viagem. Afinal, não é necessário para quem usufrui do interrail, apenas tem de ter preenchidas as datas das respectivas viagens que são validadas pelos revisores já dentro do comboio. Muito importante, nunca esquecer de preencher as datas antes da viagem ou cometer o erro de rasurar o bilhete, isso pode custar caro, a multa pode rondar os 100 euros e perdem um dia de viagem, porque tem de voltar a preencher tudo de novo , não foi o meu caso, mas estes avisos também aparecem no manual que vem junto com o bilhete de interrail e que aconselho a lerem vivamente com atenção.

Terceiro aviso de amiga, façam o download da app que a interrail disponibiliza, porque é muito útil, com ela podemos pesquisar os percursos, os horários e ainda mostra as paragens até à estação de destino. Foi uma ferramenta muito importante, tendo em conta, que as localidades tem o que nos parecem nomes estranhos e assim evitam-se potenciais saídas precipitadas dos comboios na paragem errada.

Um último conselho, se decidirem viajar pela Europa façam-no a partir da primavera, os dias são maiores e embora viajem de noite, há sempre um lusco-fusco que nos ajuda a apreciar a paisagem que em outra altura seria impossível.

Por último, faria este tipo de viagem de novo? Não. Foi uma experiência deveras maravilhosa, porque os percursos são lindos em termos paísagisticos durante o dia, os comboios são cómodos e os funcionários são sempre prestáveis e cordais, mas quando se tem vinte anos é muitíssimo mais fácil lidar com as dores corporais, a falta de sono e a escassez de higiene, o que não quer dizer que esteja arrependida, muito pelo contrário, pelo menos já posso dizer que o fiz e já posso pensar na minha próxima aventura.

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.

FaLang translation system by Faboba

Podcast

Eventos


loading...