A Look at the Portuguese World

ptenfrdees

 

h facebook h twitter h pinterest

Feira do livro do Funchal arranca com novidades

Written by  Ana Raquel Fernandes crtz direitos reservados

 A 45ª Feira do Livro do Funchal (FLF) tem inicio esta sexta-feira, 24 de maio até dia 2 de Junho, na placa central da Avenida Arriaga, no Funchal

Ao longo da placa central estão presentes 25 expositores de editoras, livreiros, alfarrábios e um expositor com duas rádios regionais. Durante 10 dias vão estar presentes 62 autores, numa edição que incluí conversas e encontros literários, sessões de autógrafos, lançamentos e apresentações de livros, 19 concertos, 3 espetáculos de teatro, performances de rua e um espaço especialmente dedicado ao público infantojuvenil no Largo da Restauração.
Uma inovação da Feira neste ano foi o convite a Maria Fernandes, uma jovem poetisa madeirense, para realizar a curadoria de toda a vertente da poesia da Feira. A seu convite irão acontecer diversas atividades, desde conversas temáticas, apresentações de novas obras da poesia contemporânea Portuguesa, espetáculos de poesia encenada e musicada e uma oficina de artes denominada Poesia em Transmutação.
Dos autores presentes na FLF, destaque para Itamar Vieira Junior, Afonso Cruz, Itamar Vieira Junior, Pedro Chagas Freitas, Irene Pimentel, Valério Romão, Dalila Teles Veras, Luis Filipe Sarmento, Padre Martins Júnior e Dom Nuno Brás.

Dia 24 de maio às 18h15m Afonso Cruz subirá ao palco da Avenida Arriaga para apresentar o livro “Princípio de Karenina”.

O livro é uma viagem até aos confins do mundo, até ao Vietname e Camboja, até ao território que antigamente se designava como Cochinchina, para encontrar e perceber aquilo que está mais perto de nós, aquilo que nos habita. Um pai que ergue muros de silêncio, uma mãe que faz arco-íris de música, uma criada quase tão velha como o Mundo. Uma busca que nos leva a todos a chegar tão longe, para lá de longe, para nos depararmos connosco, com as nossas relações mais próximas, com os nossos erros, com as nossas paixões, com as nossas dores e, ao somar tudo isto, entre sofrimento e júbilo, encontrar talvez a felicidade.

A escritora madeirense, nascida no Funchal em 1946 e radicada no Brasil desde a infância, regressa à Madeira para lançar e apresentar o seu livro “Tempo em Fúria”. Dalila  Telles Veras estará à conversa com Irene Lucilia Andrade no Palco da Avenida Arriaga no dia 25 de maio às 18h00. O livro fala da “urgência/emergência” de denúncia da penúria em que se encontra a conjuntura de um pobre país chamado brasil, esta “separata”, que faz parte da obra mais abrangente “Tempo em Fuga, Tempo em Fúria” é um conjunto de poemas de cunho marcadamente social e político e que traduzem o sentir quotidiano da autora.

O escritor Brasileiro Itamar Vieira Junior estará no palco da Avenida Arriaga, no dia 26 de maio às 16h00 para e apresentação do livro “Torto Arado”.

Foi com o romance que o Itamar Vieira Junior saiu vencedor da edição de 2018 dos Prémios Leya. A obra narra uma comovente história de personagens que atravessaram o tempo, passando por situações de vida e morte, combate e redenção, sem nunca conseguirem sair do anonimato. As irmãs Bibiana e Belonísia, personagens principais, são filhas de trabalhadores de uma região pouco povoada do interior do Brasil, descendentes de escravos para quem a abolição nunca passou de uma data comum. Num enredo composto de segredos antigos onde a maior parte dos protagonistas são mulheres, o autor leva o leitor a refletir sobre desigualdades que julgamos serem passadas, mas que se estendem até hoje no Brasil.

Voltamos pelo 2º ano consecutivo a ter, sempre às 15 horas, conversas à volta de autores madeirenses com o objetivo de dar a conhecer a literatura, a sua vida e obra. Falaremos sobre Maria Aurora, José Agostinho Baptista, Rui Santos, Manuel Campanário, Ana Margarida Falcão, José Viale Moutinho, Viscondessa das Nogueira, Camões Pequeno ou Francisco Alvares de Nóbrega, Maria do Carmo Rodrigues e José Tolentino Mendonça.


Música também vem à Feira
O recinto da 45ª Feira do Livro também terá momentos musicais, a autarquia apostou na presença de diversos músicos nacionais e regionais, onde se destacam a presença de Salvador Sobral e Maria João que se juntam aos músicos madeirenses André Santos e Mariana Camacho no projeto de reinvenção da música tradicional madeirense MUTRAMA. Este projeto, apoiado desde o primeiro momento pela Câmara Municipal do Funchal teve estreia nacional no Baltazar Dias em 2018, subirá ao palco no dia 24 de Maio, pelas 20horas. 

Já no dia 25 de maio às 20h00, Afonso Cruz sobe ao palco, mas desta vez na faceta de músico para integrar a banda The Soaked Lamb da qual faz parte.  A banda portuguesa de blues foi formada em 2006 e composta por seis músicos multi-instrumentais, já participaram bandas sonoras de filmes, com destaque para A Arte de Roubar de Leonel Vieira. Uma referência à sua imagem em palco, os músicos optam sempre por um visual retro, em consonância com o estilo musical que praticam e que não dispensa o uso de chapéu, e por tocarem sentados.

 No próximo sábado, dia 31 de Maio, pelas 19h, no âmbito da 45ª Feira do Livro do Funchal, o Foyer do Teatro Municipal Baltazar Dias será presenteado com “A Guitarra em Verso”, com participação especial de Rebeca Oliveira.

Rebeca Oliveira iniciou os seus estudos na área da música aos 15 anos, no “Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira – Eng.º Luíz Peter Clode”, com o professor Pedro Zamora. No seu currículo contam mais de 30 masterclasses com guitarristas de renome mundial como David Russell, Paolo Pegoraro, entre outros.

“A Guitarra em Verso” será um íntimo concerto com um repertório que abarca mais de 250 anos de música e história, apresentando um conjunto de obras para guitarra, de vários estilos e épocas, com algo em comum: um elo de ligação inquebrável com a literatura.

A Associação Orquestra Clássica da Madeira (AOCM), muito acarinhada pela população madeirense, teve a sua génese na Orquestra de Câmara da Madeira, fundada em 1964 pelo Professor Jorge Madeira Carneiro. É considerada uma das mais antigas do país em atividade, sendo que ao longo da sua história, fruto do empenho conjunto de muitas pessoas, tem vindo a afirmar-se como uma referência a nível regional e nacional, contribuindo para o cartaz turístico de excelência da Região Autónoma da Madeira.

Destaque ainda para as presenças de  Rita e Bruno Santos, Combo Jazz, Banda dÁlém, Bossa Livre, João Borges, Vértice, Fado das Quinas, Xarabanda, Franco e os Cordofones, Apanhados com a Boca na Palavra, Akustic Junkies, Por Terras de Zeca, Orquestra Clássica da Madeira com um concerto comemorativo do Dia da Criança e o concerto de Rebeca Oliveira.
A inovação a nível musical este ano foi lançar o desafio a grupos musicais regionais para cantar músicas com poemas de autores consagrados, como Vasco Graça Moura, Florbela Espanca, Caetano Veloso, Alexandre O´Neill, Bob Dylan, o prémio nobel da literatura 2016 e Leonard Cohen. Estes espetáculos serão realizados pela Márcia Aguiar, Tiago Sena Silva, Banda Distrital do Funchal, Miguel Pires, Vânia Fernandes e Elisa Silva.

 

Espaço Infantojuvenil

“Smells Like Teen Spirit”, uma coprodução entre o Teatro Municipal Baltazar Dias e a o CEPAM, a Escola das Artes.

Este espetáculo fala sobre a adolescência e a banda sonora que a compõe. Catorze corações desafinados às voltas. Fogem aproximando-se. Defendem-se desejando-se. Amam-se magoando-se. Procuram-se. Sentem-se. Brotam-se à flor da pele.
Ensaiam-se os primeiros acordes, os mais dolorosos, aqueles em carne viva, que vêm lá do fundo e que ainda não encontraram um tom certo. Adolescem-se em distorções.
O espetáculo decorre entre dia 27 e 28 de Maio, às 15h e às 19 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias.


O Largo da Restauração será novamente o espaço escolhido para acolher o público infantojuvenil com 36 atividades ao ar livre. As atividades vão desde lançamentos de livros infantojuvenis, poesia encenada, horas do conto, teatro de fantoches, atividades pedagógicas que serão dinamizadas através de um leque diversificado de parceiros como a Associação Nuvem Aquarela, Associação Casa Invisível, Teatro Bolo do Caco e os próprios serviços municipais como os Museus, o Arquivo, a Biblioteca e o Teatro. A Feira do Livro por incluir também o dia 1 de junho, Dia da Criança, terá atividades durante esse dia e aos fins de semana dirigidos ao público infantojuvenil numa lógica de animação, com pinturas faciais, modelagem de balões, pipocas e insuflável.

Da Avenida ao Teatro


O icónico Teatro Municipal Baltazar Dias irá receber 3 espetáculos de Teatro inseridos na programação da Feira do Livro, são eles: “SAFE”, uma coprodução do Dançando com a Diferença e da CMF, num trabalho sobre as migrações forçadas. “Smells Like Teen Spirit”, é o espetáculo de teatro do Conservatório – Escola das Artes da Madeira em coprodução com a CMF e que fala sobre a adolescência. Por fim, “A Pessoa de Fernando” uma Ode Teatral à pessoa de Fernando, a partir da vida e obra de Fernando Pessoa e que chega ao Funchal através da Momento , Artistas Independentes.

PROGRAMA

Dia 31 de maio

10h00 - "Um Conto por Dia não sabes o Bem que te fazia" - Leda Pestana - Espaço Infantojuvenil
Leda Pestana é técnica superior de educação e contadora de historias profissionais. Tem uma paixão pelos livros, pelas histórias e principalmente por contá-las.
As histórias têm um papel fundamental na formação de cada indivíduo, tornando-o criativo, crítico e capaz de tomar decisões.
Contar histórias é reviver momentos, lugares e personagens encantadas.

11h00 – Oficina Poética para a infância "Um pássaro da cabeça" de Manuel António Pina por Catarina Claro – Espaço Infantojuvenil
Alguma vez tiveste um pássaro dentro da cabeça?
Pois então, não queiras!
É que eles voam e cantam onde quer que lhes apeteça e são teimosos, sempre numa de repetição. É melhor teres cuidado... Dizem que os pássaros quando entram na cabeça é um caso sério para a imaginação.
Oficina poética a partir da encenação do poema “O Pássaro da Cabeça”, de Manuel António Pina.

14h00 - Pinturas Faciais e modelagem de balões – Espaço Infantojuvenil
15h00 - Dando a conhecer Camões Pequeno - Sandro Nóbrega, Gilberta Abreu, Silvia Vasconcelos. Moderação: Jorge Miguel Caldeira – Palco Avenida Arriaga
Segundo o seu sobrinho, Januário Justiniano de Nóbrega, Camões Pequeno terá nascido em 1773. Filho de Domingos de Nóbrega Barreto e Ana Rita Sampaio, moradores à Rua dos Moinhos, Sítio da Banda de Além, Machico. O pai mandou-o para o Funchal onde se empregaria numa loja de fazendas de um abastado comerciante. Foi aluno do cónego deão da Sé do Funchal, João Francisco Lopes Rocha, a quem chama o “Cícero funchalense” num dos seus poemas. Quando estava no 3º ano, foi expulso do Seminário e enviado para uma masmorra e depois foi enviado para uma Limoeiro em Lisboa. Este facto ficou a dever-se aos seus poemas de teor satírico direcionados / envolvendo o então bispo D. José da Costa Torres.
15h00 - Espetáculo de Teatro “A Pessoa de Fernando” Momento - Artistas Independentes – Teatro Baltazar Dias
Uma ode Teatral à Pessoa de Fernando
Num contexto funcional, Fernando Pessoa, bêbado, lê nos astros que nunca mais se deve envolver com Ophélia. Nunca mais a deve ver. Nunca mais lhe deve escrever. Porém, este vê-se decidido em enviar uma última cara-tarefa que não está a conseguir realizar. Perturbado pelo descontrolo, o seu desassossego é humanizado, colocando em palavras os seus próprios pensamentos. Eis que, os seus heterónimos invadem, como paródias de eles mesmos, com o intuito de ajudar Pessoa a cumprir esta última tarefa.
Fundada por Daniel Silva e Diogo Freitas, Momento – Artistas Independentes nasce da pluralidade de dois jovens criadores formados na escola de Teatro de Famalicão – Atual ACE Famalicão. O objetivo é que seja um aglomerado de estudos entre os quais de texto, de corpo e de voz com a intenção de criar bons produtos culturais que só podem ser obtidos através da cooperação e da insistência a aperfeiçoar cada objeto artístico. A Momento – Artistas Independentes é uma casa de intérpretes.
16h00 - Atividade "História de um comerciante de açúcar - uma historia com cinco séculos" (Dinamizado pelo Museu Açúcar) – Espaço Infantojuvenil
O museu A Cidade do Açúcar apresentará na 45º edição da Feira do Livro Funchal a atividade sob o tema “História de um comerciante de açúcar – uma História com 500 anos”. O objetivo desta atividade é sensibilizar o público juvenil sobre a importância da preservação do património dos testemunhos dos achados arqueológicos das escavações das "Casas do comerciante de açúcar João Esmeraldo, que a tradição diz terem sido residência de Cristóvão Colombo no Funchal".

17h00 - Lançamento do livro "José Afonso ao Vivo" de José Moças. Moderação: Susana de Figueiredo – Palco Avenida Arriaga
“José Afonso ao vivo” é um livro da autoria do jornalista Adelino Gomes. Este livro dará a conhecer os dois concertos inéditos de Zeca Afonso, realizados em maio de 1968 e fevereiro de 1980 e apresenta também um enquadramento histórico dessa época no que diz respeito a este cantor. Para além disso a obra contém um registo de som editado pela Tradisom e em 80 páginas reúne uma surpreendente obra que contém um enorme valor documental.

José Moças é especialista no estudo, recuperação e edição de fontes históricas de música. Desde outubro de 2013 é Professor Auxiliar Convidado da Universidade de Aveiro (Departamento de Comunicação e Arte).

18h00 - Apresentação do livro "KNK" do Luis Filipe Sarmento com João Carlos Abreu – Palco Avenida Arriaga
Um conjunto de considerações poéticas a partir da elaboração filosófica de três grandes figuras: Kant, Nietzsche e Kafka.

Luís Filipe Sarmento nasceu em Lisboa. Estudou Filosofia na Faculdade de Letras daUniversidade de Lisboa. Escritor, Jornalista, Editor, Tradutor e Realizador de Televisão. Alguns dos seus livros e textos encontram-se traduzidos em inglês, espanhol, francês, italiano, grego, árabe, mandarim, japonês, romeno, macedónio, croata, turco e russo. Produziu e realizou a primeira experiência de Videolivro feita em Portugal no programa Acontece para a RTP. Tem 23 livros publicados entre poesia, ensaio e romance.

João Carlos Abreu Viveu algum tempo em Roma e em Bolzano, onde estudou Jornalismo e Gestão de Empresas. Trabalhou nos Serviços de imprensa do Concílio do Vaticano II. Enveredou, depois, pela hotelaria, onde passou cerca de um ano no sul de Inglaterra. Foi também empresário, director de relações públicas, agente de viagens, director de hotel, Director Regional dos Serviços de Animação, Director Regional de Turismo, e durante 23 anos (1984-2007), foi Secretário Regional de Turismo e Cultura. Desde junho de 2007, tem se dedicado à escrita, ao teatro, às viagens e a causas humanitárias, presidindo a Associação CRIAMAR. Possui alguns cursos na área das relações públicas, promovidos por instituições de prestígio norte americanas. Em países como Chipre, Canadá, Itália e Espanha, participou em palestras sobre questões culturais, turísticas e ambientais. Desde os 16 anos que realiza viagens de estudo e recreio pelos quatro cantos do mundo, publicou centenas de crónicas em jornais e revistas nacionais e estrangeiras, dois guias turísticos sobre a Madeira em inglês, dez livros de poesia e seis em prosa.

18h00 - Sessão de Autógrafos de José Moças no Stand Xarabanda
19h00 - Sessão de Autógrafos com Luis Filipe Sarmento - Stand CMF
19h00 - Concerto “A Guitarra em Verso” com Rebeca Oliveira – Produção AOCM + CMF – Fo yer do Teatro Baltazar Dias
É essencial entender integralmente uma obra musical, principalmente desde o ponto de vista do compositor: qual o principal motivo gerador da obra? Qual a fonte de inspiração? De onde partem as suas influências? Que pretende o compositor expressar com a sua obra?
Deste modo, este íntimo concerto com o título “A guitarra e a literatura”, com um repertório que abarca mais de 250 anos de música e história, apresenta um conjunto de obras para guitarra, de vários estilos e épocas, com algo em comum: um elo de ligação inquebrável com a literatura: um poema, uma história, um conto.
Haverá algo mais bonito do que a união das diferentes formas de arte?

19h00 - Conto Encenado "O Caçador do Tempo que Voa" com Ricardo Brito e Marta Garcês – Espaço Infantojuvenil
Contar histórias é interromper o tempo, caçá-lo na acelerada vertigem que lhe dedicamos por não termos, já, … (pausa)… tempo para nada. Ainda assim, ele permanece sempre ao nosso alcance, mesmo que não tenhamos a noção do quão longo, distante e cíclico pode ser... (pausa)… o tempo. Basta paramos um minuto, dez, uma hora, e parecerá que viajámos para bem longe. Dizemos hoje, pensando no futuro… vivemos agora, focados no amanhã.
Nos dois contos que escolhemos, o tempo mascara-se de natureza. Diz-se que, nela, tudo se transforma, … (pausa)… nada se cria, nada se perde… (pausa)… sem pressas… ela é o próprio tempo. Através de duas histórias simples, das suas palavras, ações e emoções, contadas no centro do reboliço da cidade, fazê-la levantar os olhos do chão e… (pausa)… ficar, ouvir, ver, imaginar, voar. Porque a rua é generosa, ela retribui na medida em que lhe fazemos parar o tempo, ainda que por breves segundos.

20h30 - Concerto Vértice – Palco Avenida Arriaga
Vértice, projeto musical criado na Madeira estarão dia 30 de maio às 20h na Feira do Livro do Funchal.
Tem como fundamento promover, divulgar, homenagear e destacar o património histórico e arquitetónico em concerto e ainda a poesia insular.
Esta valorização insular é feita pela escolha de poemas que à priori são vistos como não transformáveis em música. Estes são criados a partir dos cordofones tradicionais madeirenses, numa perspetiva estética, contemporânea e alternativa, que valorize igualmente o património histórico e arquitetónico local. É uma iniciativa “inédita e arrojada”, que pretende chamar a atenção para a importância da obra poética dos diversos escritores madeirenses, demonstrando as possibilidades de interligação criativa entre a poesia e os cordofones madeirenses, contribuindo assim para a imagem cultural dos vários concelhos, através da divulgação dos seus produtos culturais.

 

Dia 1 de junho
10h00 - "Um Conto por Dia não sabes o Bem que te fazia" - Leda Pestana - Espaço Infantojuvenil
Leda Pestana é técnica superior de educação e contadora de historias profissionais. Tem uma paixão pelos livros, pelas histórias e principalmente por contá-las.
As histórias têm um papel fundamental na formação de cada indivíduo, tornando-o criativo, crítico e capaz de tomar decisões.
Contar histórias é reviver momentos, lugares e personagens encantadas.

11h00 – Oficina poética para a infância "Um pássaro da cabeça" de Manuel António Pina por Catarina Claro – Espaço Infantojuvenil
Alguma vez tiveste um pássaro dentro da cabeça?
Pois então, não queiras!
É que eles voam e cantam onde quer que lhes apeteça e são teimosos, sempre numa de repetição. É melhor teres cuidado... Dizem que os pássaros quando entram na cabeça é um caso sério para a imaginação.
Oficina poética a partir da encenação do poema “O Pássaro da Cabeça”, de Manuel António Pina.

14h00 – Espetáculo infantil "Leónia Devora os Livros" - Teatro Bolo do Caco – Espaço Infantojuvenil
15h00 - Dando a conhecer Maria do Carmo Rodrigues - Magno Jardim e Maria José Varela. Moderação: Leda Pestana – Palco Avenida Arriaga

Maria do Carmo Rodrigues iniciou, na década de quarenta, a sua carreira de autora de textos destinados aos mais novos. Publicou livros e participou, na qualidade de autora, em produções de teatro infantojuvenil. Foi colaborante da imprensa regional e nacional e entre 1969 e 1971 dirigiu o periódico “A Canoa”. A autora é ainda hoje reconhecida pela sua vasta obra no campo da literatura infantojuvenil, quer na prosa, quer no teatro, quer na poesia.

15h00 - Pinturas faciais e modelagem de balões – Espaço Infantojuvenil

16h00 - Vamos falar de Livros - Joaquim Pinheiro - Salão Nobre do Teatro
16h00 - Apresentação do livro "Cenas de Deus" de Dom Nuno Brás com Pedro Barbas Homem – Palco Avenida Arriaga
“Cenas de Deus - Retratos e Coisas da Vida” é o novo livro, de conteúdo profundo e leitura fácil, que reúne 180 textos de D. Nuno Brás. Os mesmos foram outrora publicados no jornal "Voz da Verdade", do Patriarcado de Lisboa.
Em "Cenas de Deus: Retratos e Coisas da Vida", Dom Nuno Brás parte diretamente para essa descoberta. Uma vez que há 2000 anos Deus decidiu entrar no comboio da história, agora todos os pequenos e grandes acontecimentos passam a ter um ingrediente secreto que é preciso descobrir. Esse ingrediente secreto é a bondade meticulosa e premeditada do Deus bom, que fez tudo e que tudo governa, e a tudo e a todos quer levar a bom termo.»

Dom Nuno Brás nasceu na Lourinhã a 12 de maio de 1963. Licenciou-se em Teologia pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica portuguesa em 1985. Foi ordenado padre em 4 de julho de 1987, em Lisboa. Realizou doutorado em Teologia Fundamental em 1999, pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma. Foi nomeado Cónego da Sé Metropolitana Patriarcal de Lisboa a 10 de janeiro de 2006. Nomeado bispo-auxiliar de Lisboa a 10 de outubro de 2011 e foi consagrado bispo-titular da Diocese de Elvas no Mosteiro dos Jerónimos a 20 de novembro de 2011. Actualmente é bispo da Diocese do Funchal.

17h00 - Sessão de Autógrafos de Dom Nuno Brás - Stand CMF
17h00 – Lançamento do livro “O Cais da Vida” de Dr. Horácio Bento de Gouveia, filho, com José Manuel Constantino.
“O Cais da Vida” é o romance de Horácio Bento de Gouveia (filho). Um livro que provoca no leitor vontade de visitar os sítios nele descritos. O autor demonstra um elevado conhecimento da História do arquipélago e uma excelente capacidade de observação e descrição do que observa em redor.

Horácio Bento de Gouveia, filho do conhecido escritor madeirense com o mesmo nome, é advogado e já exerceu docência no ensino secundário

18h00 - Apresentação do livro "Da Leveza do Sonho" de Teresa Gonçalves Lobo, Rita Rodrigues, Isabel Santa Clara e Fedra Espiga Pinto – Palco Avenida Arriaga
À conversa com a artista plástica Teresa Gonçalves Lobo, as investigadoras e críticas de Arte, Isabel Santa Clara e Rita Rodrigues, e Fedra Espiga Pinto, criadora do catálogo-poema elaborado para a exposição com o mesmo título que recentemente teve lugar na Galeria das Salgadeiras, vaguear-se-á por conceitos de representação poética a partir da imagem, do traço, da leveza ou falta dela e do ruído, sim, da música que vive também na poesia de quem traça uma linha, seja a diiiireito, curva ou em “nós” - a mesma poesia feita música- imagem que, por diversos olhares, perspectivas e sentires ser apreendida, em diversos poemas se torna a, para cada um, sua poesia.

Teresa Gonçalves Lobo, nasceu no Funchal, Madeira, em 1968, e tem construído uma carreira artística consistente, expondo regularmente em galerias e museus não só em Portugal como tambem em Inglaterra, Bélgica, França, Áustria, Rússia e Espanha. Tem atelier em Lisboa, cidade onde vive e possui um segundo atelier no Funchal. É representada pela galeria Waterhouse & Dodd, em Londres desde 2017. Tendo estudado desenho, pintura, gravura e fotografia no Ar.Co Centro de Comunicação Visual e no Cenjor, respetivamente, Gonçalves Lobo tem adotado um método original de desenho, num estilo pessoal de linhas gestuais vivazes, formas caligráficas e delicadas pinceladas que são emocionais e fluidas. O seu trabalho baseia-se na intuição e na improvisação, representando paisagens abstratas que são ambíguas e sutilmente femininas. Teresa Gonçalves Lobo desenvolve a sua técnica, transpondo os seus desenhos bidimensionais para a escultura e até ao design de mobiliário, experiência que a levou a expor a sua “i Chair Long” no Grand Palais, em Paris na exposição “Revelations”, que fez parte da Paris Design Week 2013. Teresa Gonçalves Lobo está representada em coleções públicas e privadas, nacionais e internacionais.

Rita Rodrigues possui Licenciatura em Artes Plásticas (1986); mestrado em História / História da Arte (2000); doutoramento em Estudos Interculturais (2012).
É Investigadora integrada do centro de investigação ARTIS (Instituto de História da Arte / Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa) e membro do CIERL (Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira). Pertence ao quadro da Escola Secundária Francisco Franco (Artes Visuais) e desde 2015 está requisitada na Direcção Regional da Cultura / Direcção de Serviços de Museus e Património Cultural. Desenvolve investigação na área da pintura, imaginária e talha dos séculos XVI-XIX, e da encomenda artística, no Arquipélago da Madeira, tendo publicação em livros, artigos em catálogos, guias, revistas e dicionários. Tem colaborado na organização de exposições de artes plásticas, em programa de rádios e televisão. Desenvolve prática artística (pintura, fotografia e instalação) e poesia.

Fedra Espiga Pinto nasce a 17 de março de 1970 em Santarém. Licencia-se em Artes Plásticas - Pintura pela ESAD das Caldas da Raínha em 1993. Reside na Madeira desde outubro de 1994. Participou em váriasexposições colectivas de Artes Plásticas em Santarém, Caldas da Raínha e Lisboa. Autora criativa do troféu de Cinema Jovem para o Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz.
Responsável criativa pelo Design Gráfico e de Comunicação no Diário de Notícias da Madeira e no Grupo Sá, entre 1998 e 2004. Actualmente é directora criativa e sócia na agência de publicidade Fepdesign, desde 2004. Apaixonada pela fotografia desde muito cedo e com vários trabalhos realizados recentemente.

18h00 - Concerto Dia Mundial da Criança – Orquestra Clássica da Madeira - Teatro Baltazar Dias

19h00 - Apresentação da obra Mostrengo com Maria Fernandes e Ana Salgueiro – Palco Avenida Arriaga

Este é um conjunto de novas vozes poéticas que em nosso entender, representam a novíssima geração da poesia na/da Madeira. Uma característica os une: nasceram todos a partir da década de 70 do século XX e trazem na voz a frescura que tanto se aproxima e assemelha no âmbito da ética-estética dominante entre si, como se afasta bruta e drasticamente afirmando perante quem se digne à leitura o abandono latente da “ilha mental”, paradoxalmente habitada de modo eterno.
Um novo saber fazer do ofício da manufactura poética: é esse o convite.
Maria Fernandes
Maria Fernandes nasceu no funchal no ano de 1983, exerce assessoria de imprensa e gestão de comunicação na Agência de Promoção da Cultura Atlântica, associação no âmbito da qual desenvolve também investigação na área da Cultura bem como gestão e produção de eventos culturais. É mentora e produtora do projecto “Brincos de Ponta – Plano de Revitalização das Práticas do Património Cultural Imaterial de Ponta Delgada” e fundou em 2017 a Associação Cultural ACANGA – A Cultura a Norte Ganha Alento. Criou em 2015 o periódico online A.Poética que tem publicado e divulgado vários novos autores da poesia contemporânea em Língua Portuguesa. Mantém o blogue de poesia “Ventos Obtusos” e colabora na edição digital da revista Umbigoº onde tem publicado poesia criada a partir da fotografia. Tem participado em diversas antologias poéticas bem como em encontros literários e festivais internacionais de poesia. Publicou em 2014 a edição de autor “Contemplações, Constatações e 30 Ventos” e prepara atualmente a obra “PROCESSO continuous: Poemas Mecânicos”.

Ana Salgueiro é doutoranda em Estudos de Cultura na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa (UCP), mestre em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e licenciada em LLM-Estudos Portugueses, por esta última faculdade. Atualmente é investigadora no Centro de Estudos de Comunicação e Cultura da UCP e do Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira (UMa-CIERL). É a atual coordenadora da revista TRANSLOCAL, editada pelo UMa- CIERL em parceria com a CMF. Como investigadora, o seu trabalho tem-se ocupado sobretudo dos sistemas insulares da Macaronésia Lusófona. Assumindo preferencialmente enquadramentos interdisciplinares, aborda questões como: o exílio e a mobilidade humana, cultural e textual; as implicações entre cultura e poder; a relação entre fenómenos culturais, imaginários e fenómenos naturais; o papel do discurso artístico (literário e visual) e do discurso académico nas sociedades contemporâneas. Este trabalho tem sido apresentado em reuniões científicas e eventos culturais, encontrando-se publicado em livros, atas e publicações periódicas especializadas, nacionais e internacionais.

20h00 - Concerto "Terras de Zeca" com Zeca Medeiros e Filipa Leal – Palco Avenida Arriaga
Enquanto concerto centralizado na figura de Zeca Afonso, este trabalho é um tributo à sua obra, quer como compositor, quer como poeta.
Assim, apresentamos um espetáculo rico, desde as suas composições mais conhecidas como “verdes são os campos”, “que amor não me engana”, “índios da meia-praia”, “venham mais cinco”, que fazem parte integrante do CD "Por Terras do Zeca", que surgem aqui revestidas de novos arranjos, a temas originais baseados na sua figura, bem como outras composições menos conhecidas do público, como são por exemplo “papuça”, “lá no Xepangara” e “ali está o rio”

21h00 - Concerto Akustic Junkies - Palco Avenida Arriaga
Projeto formado em 2012 por um grupo de amigos que partilham o mesmo gosto musical, assumidos como banda de covers que compõe temas originais, contando já com dois singles: “Feel the Sun” e “Just Smile”.
Apresentam-se como banda de tributo influenciada pelo rock e pelo grunge de Seattle, com espetáculos totalmente acústicos ou com tom mais energético com os instrumentos elétricos.

2 de Junho

“Turismo de Saúde e Bem-Estar no Mundo” apresentado na Feira do Livro

Dia 2 de junho às 14h00 no âmbito da Feira do Livro será apresentado o livro “Turismo de Saúde e Bem-Estar no Mundo- Desafios das Alterações Climáticas” de João Viegas, professor universitário e presidente da AMTSBE - Associação Mundial de Turismo de Saúde e Bem-Estar e de Filomena Maurício Fernandes, médica especializada em saúde pública.
Os autores salientam neste livro a profunda interdependência entre a Saúde e o Bem-Estar Humano e a Saúde da Natureza. É analisada a perspetiva ética do turismo de saúde e bem-estar, visando a excelência dos procedimentos de saúde e a segurança dos utentes/turistas e residentes, bem como a sustentabilidade turística. Baseada na bibliografia estudada, mais de trezentos e sessenta livros de diversas áreas temáticas e nas visitas de estudo a diversos destinos turísticos, fazem uma abordagem holística, inter/transdisciplinar, complexa e ecológica do turismo de saúde e bem-estar, professores e estudantes.
Numa altura em que são crescentes as preocupações com a preservação do ambiente e o impacto das alterações climáticas, esta obra é uma reflexão sobre estes temas, mostrando a interdependência entre a saúde da natureza e a saúde e o bem-estar humano.
Este deste livro é fundamental para quem autoriza, fiscaliza, concebe e gere empreendimentos destinados ao turismo de saúde e bem-estar, nomeadamente: técnicos de saúde, turismólogos, empresários, decisores.

Bruno Santos e Rita Redshoes fecham 45ª edição da Feira do Livro do Funchal

A 45ª edição da Feira do Livro do Funchal termina amanhã, dia 2 de junho às 20h00 com um concerto do duo composto por Bruno Santos e Rita Redshoes. A voz e as músicas de Rita, juntam-se assim à guitarra de Bruno Santos num concerto que promete fechar em grande a edição 2019 da Feira do Livro.
Rita é considerada uma das mais reconhecidas compositoras e interpretes da sua geração, multi-instrumentista, com diversos álbuns editados. Já Bruno Santos é um reconhecido guitarrista madeirense que atua regularmente em festivais e salas de concerto por todo o país.

Dia 2 de junho

10h00 - "Um Conto por Dia não sabes o Bem que te fazia" - Leda Pestana - Espaço Infantojuvenil
Leda Pestana é técnica superior de educação e contadora de historias profissionais. Tem uma paixão pelos livros, pelas histórias e principalmente por contá-las.
As histórias têm um papel fundamental na formação de cada indivíduo, tornando-o criativo, crítico e capaz de tomar decisões.
Contar histórias é reviver momentos, lugares e personagens encantadas.

14h00 - Lançamento do Livro "Turismo de Saúde e Bem-Estar no Mundo. Desafios das Alterações Climáticas" de João Viegas. Moderação: João Baptista da Silva – Palco Avenida Arriaga
Há algum tempo, o setor turístico vem ampliando e criando novas maneiras de atrair clientes para atender às necessidades deles. O livro explica a importância de as pessoas desenvolverem estilos de vida saudáveis, enfatizando a prática do turismo de saúde e bem-estar. Partindo de uma análise histórica do turismo médico, explica e exemplifica os principais requisitos para sua instauração e os amplos benefícios que proporcionam aos seus usuários. Isso tudo sem deixar de lado estudos sobre o retorno financeiro para investidores e profissionais dessa área tão em voga no Brasil.

João Viegas Fernandes é professor e presidente da AMTSBE - Associação Mundial de Turismo de Saúde e Bem-Estar.

15h00 - Dando a conhecer José Tolentino Mendonça - Diogo Costa Goes, Helena Berenguer, Sílvio Fernandes. Moderação: Valentina Jesus – Palco Avenida Arriaga
José Tolentino Mendonça, natural da ilha da Madeira, estudou Ciências Bíblicas em Roma e é doutorado em Teologia. Atualmente é arcebispo titular de Suava, Diretor da Faculdade de Teologia, vice-reitor da Universidade Católica, Arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana.
Tem publicado diversos livros de poesia, ensaio e teatro na editora Assírio & Alvim e colaborado em muitos outros como tradutor e organizador. A sua obra tem sido distinguida com vários prémios, entre eles o Prémio Cidade de Lisboa de Poesia (1998), o Prémio Pen Club de Ensaio (2005), o italiano Res Magnae, para obras ensaísticas (2015), o Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes APE (2016), o Grande Prémio APE de Crónica (2016) e, mais recentemente, o prestigiado Prémio Capri-San Michele (2017).

Diogo José Goes
Artista Plástico

Helena Berenguer
Artista Plástica

Sílvio Fernandes
Vice-Reitor na Universidade da Madeira

15h00 - Sessão de autógrafos - João Viegas
16h00 - Atividade "Marcador Mágico" (Dinamizado pelo Museu Henrique e Francisco Franco) - Espaço Infantojuvenil
No Museu Henrique e Francisco Franco, existem algumas pinturas a óleo sobre tela, do pintor Henrique Franco, com motivos de animais, nomeadamente “A Galinha Preta”; “Pastora” e “Galinha”. Vamos contar-vos uma história sobre essas pinturas e explorar uma técnica de expressão plástica, com base nessa iconografia.
16h00 – Intervenção de rua “Lendas da Madeira” – ATEF – Avenida Arriaga (Em frente ao Teatro Municipal)
Um grupo de Atores de Rua chega à Madeira e conhece Charamba e Maria da Venda, duas figuras populares, exímios contadores de histórias que os conduzirão a um extraordinário mundo imaginário, recreado pelas lendas da Madeira. No curso narrativo da peça percebe-se que não vieram por acaso e que procuram o portal que os levará a casa - a Atlântida. Viajam no tempo com a ajuda do livro branco de Salomé e confrontam-se com diversas personagens e lendas que os orientam no caminho...

17h00 - Conversa "Poesia Experimental na Madeira" com Silvestre Pestana, António Dantas, Isabel Santa Clara. Moderação: Susana de Figueiredo – Palco Avenida Arriaga
Silvestre Pestana, António Dantas, António Barros, António Aragão e António Nelos são os cinco artistas madeirenses que estiveram representados na exposição “Poesia Experimental Portuguesa”, na Caixa Cultural Brasília, na capital brasileira no último trimestre do ano de 2018. A exposição, com curadoria de Bruna Callegari e Omar Khouri, inclui cerca de oito dezenas de trabalhos, numa mostra coletiva que junta 18 artistas portugueses. Qual o impacto da criação poética experimental de carácter concerto e visual na/da Madeira e de que se fizeram as influências que estiveram na origem da repercussão do género entre os ilhéus são algumas das questões levantadas e respondidas neste painel de conversação, com tempo e espaço para o visionamento de algumas das obras dos madeirenses presentes em Brasília.

Silvestre Pestana (1949, Funchal, Madeira) é uma das figuras mais radicais da arte contemporânea portuguesa. Poeta, artista plástico e performer, criou desde os finais dos anos 1960 uma obra singular através de uma grande diversidade de disciplinas. A primeira grande exposição da sua obra foi realizada em 2016 no Museu de Arte Contemporânea de Serralves. A partir de obras recentemente integradas na Coleção de Serralves, bem como obras pertencentes ao artista, a presente exposição sublinha o seu uso pioneiro do desenho, da colagem, da fotografia, da escultura, da instalação, do vídeo e da performance para um confronto entre sociedade, arte e tecnologia.”.

António Dantas, natural da Madeira, participou em exposições, antologias e festivais dedicados à poesia visual, à eletrografia e à arte postal. Inicialmente ligado às artes visuais, linguagem que continuará a desenvolver ao longo dos anos, participou em algumas das principais iniciativas da poesia visual portuguesa dos anos 80 e 90. Trabalhos seus surgem com frequência em exposições e publicações relacionadas com a copy art e arte postal realizadas no país e no estrangeiro. A obra do autor no campo da eletrografia caracteriza-se pela manipulação criativa de elementos figurativos, com predomínio das figuras humanas, muitas vezes exploradas em conjunto com referentes que representam objetos ou símbolos de tipologia diversa. (…) A crítica e o humor estão largamente presentes nas obras do artista, surgindo frequentemente como veículos de interpelação das esferas política, económica e social da sociedade contemporânea e de questionamento do lugar que o indivíduo nela ocupa.

Isabel Santa Clara nasceu no Funchal em 1951. Concluiu o curso de pintura na Academia de Música e Belas Artes da Madeira, em 1975, e aí iniciou a atividade docente. Lecionou depois no Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira e na Universidade da Madeira disciplinas das áreas de artes plásticas, de história da arte e de estudos interartes. É colaboradora do ARTIS (Centro de Investigação do Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa) e do CIERL (Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira). A sua investigação nestas áreas tem sido divulgada através de comunicações em colóquios, textos em obras coletivas e periódicos, e de programas televisivos. Dedicou-se também à curadoria de exposições e à elaboração de textos para catálogos. Como artista plástica, expõe desde 1973.

17h00 - Pinturas faciais e modelagem de balões – Espaço Infantojuvenil
18h00 – Declamação musical “Apanhados com a Boca na Palavra” - Palco Avenida Arriaga
“Apanhados com a Boca na Palavra”, um percurso feito por poemas/textos, em que a música tem a função de sublinhar o sentido das palavras.
Com a presença dos músicos Nuno Filipe , Jorge Maggiore e o actor António Plácido.

19h00 - Teatro de Fantoches “Escola dos Animais” – Associação Nuvem Aquarela – Avenida Arriaga
O bibliotecário Chico Esperto conta-nos a história da dona Raposa Manhosa que quis ser professora, mas cada aluno que lhe aparecia era mais endiabrado que o outro. Nesta saladinha de fábulas não faltará animação, nem a lebre e a tartaruga. Até aparece um burro relinchão.

20h00 - Concerto de Rita e Bruno Santos - Palco Avenida Arriaga
A voz e as músicas de Rita juntam-se à guitarra de Bruno Santos.
Rita é considerada uma das mais reconhecidas compositoras e interpretes da sua geração, multi instrumentista, com diversos álbuns editados.
Bruno Santos é um reconhecido guitarrista que atua regularmente em festivais e salas de concerto por todo o país.

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

FaLang translation system by Faboba

Podcast

 

 

 

 

Eventos


loading...