A Look at the Portuguese World

ptenfrdees

 

h facebook h twitter h pinterest

Teatro aberto em streaming

Written by  Mafalda Simões fts Filipe Fiqueiredo

 

Entre os dias 2 e 8 de Abril, propomos o espectáculo Vermelho, de John Logan, uma viagem ao atelier do pintor Mark Rothko em Nova Iorque, no ano de 1958.

Estreado em 2011, com encenação de João Lourenço, Vermelho foi um espectáculo muito aclamado pela crítica e pelos espectadores. A ele assistiram pintores, curadores, galeristas e muitos profissionais do mundo das artes visuais. Numa sessão especial, o Professor João Lobo Antunes falou aos espectadores sobre a forma como o cérebro aprecia uma obra de arte e como os pintores, ao longo dos séculos, descobriram, a seu modo, como funciona o sentido da visão.

"Repara na tensão entre as superfícies de cor: o escuro e o claro, o vermelho e o preto e o castanho. As cores existem num estado de fluidez – de movimento. Baixam e sobem como a maré e deslocam-se, pulsando com suavidade. Quanto mais olhamos para elas, mais elas se movimentam... Flutuam no espaço, respiram...", diz Mark Rothko ao jovem assistente que contratou para o ajudar na execução de um trabalho considerado por muitos como a encomenda do século. Trata-se de uma série de murais para o luxuoso restaurante Four Seasons, integrado no edifício Seagram, um projecto inovador dos arquitectos Philip Johnson e Mies van der Rohe. Enquanto misturam as tintas e preparam as telas, Rothko expõe as suas ideias sobre a arte, reportando-se aos pintores que o antecederam, como Caravaggio ou Miguel Ângelo, e aos seus contemporâneos, como Jackson Pollock ou Andy Warhol: a arte deve propiciar o encontro do homem consigo próprio e com o mistério da existência e não ser um mero objecto de divertimento e decoração. No diálogo entre o mestre e o discípulo, desenvolve-se um intenso processo de reflexão que os transforma a ambos e os leva a procurar novos caminhos.

Vermelho é um diálogo apaixonante sobre a arte e a vida que envolve não apenas artistas e criadores como também os seus cúmplices, os espectadores.

Mais informações e ficha artística completa em:

http://www.teatroaberto.com/espetaculos/vermelho/

Críticas

"As contradições do pintor, sensualista, mas religioso, avaro, mas desprendido, humanista, mas amargo, requeriam uma actuação assim. Se a dedicação de Rothko à arte prova a sua humanidade, a humanidade da encarnação de Fonseca demonstra a arte do actor (e demais criadores). Num tempo em que ser prazenteiro é quase uma obrigação, e a arte parece ter como única justificação essa utilidade, a fidelidade de "Vermelho" ao espírito de Rothko recorda que nem só de pão, nem de circo, vive o homem."

23/01/2012, Público, Jorge Louraço Figueira

"Este espectáculo denso e fascinante, que João Lourenço encenou como uma arquitectura de som, imagem e movimento, com visível paixão pelo tema e rigor técnico artístico, exigiu lhe a si e exige aos espectadores o que Rothko requeria da arte: a verdade."
08/02/2012, Jornal de Letras, Helena Simões

Todas as noites às 21h00
#teatroemcasa

Próximas sessões

Noite Viva - 9 a 15 Abr
O Preço - 16 a 22 Abr
Amor e Informação - 23 a 29 Abr

+ infos em www.teatroaberto.com

 

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

FaLang translation system by Faboba

Podcast

 

 

 

 

Eventos


loading...