A Look at the Portuguese World

ptenfrdees

 

h facebook h twitter h pinterest

Yvette Vieira

Yvette Vieira

Saturday, 02 January 2021 17:27

Viva o samba esta de volta

 

Viva o Samba volta ao Coliseu dos Recreios, em Lisboa, no dia 17 de Janeiro, para um concerto inesquecível. 

É já em janeiro que o projeto “Viva o Samba” celebra seis anos de existência. Nasceu pelos músicos Cícero e Humberto Mateus e teve sempre como objetivo promover a cultura musical brasileira de excelência. O Samba marca o ritmo e o projeto “Viva o Samba” todos os domingos na sua residência artística sediada junto ao Rio Tejo, juntava mais de 600 pessoas e animavam as noites dos lisboetas, turistas e contava sempre com convidados surpresa, como Carminho, Vanessa da Mata, Mariza, entre muitos outros.
Agora chegou a vez de sambar no palco da sala mais emblemática de Lisboa. "É com enorme orgulho que chegamos ao palco do Coliseu dos Recreios, este é o maior desafio das nossas vidas, ter um concerto em plena pandemia, mas temos que continuar a cultura não pode parar." refere Cícero Mateus um dos fundadores deste projeto.

17 de Janeiro
Celebração do 6ª aniversário
Um concerto grandioso, que junta no mesmo palco 13 músicos, desde voz, percussão, viola, banjo, bandolim, cavaquinho, violino e harmónica que une através da alegria contagiante do Samba, com o poder da inclusão e solidariedade. O Samba, enquanto património cultural imaterial da humanidade pela Unesco é culturalmente rico e alegre que cativa e enobrece. É objetivo reservar e difundir a tradição do Samba em Portugal. Este ano o projeto Viva o Samba celebra 6 anos de existência.
Vamos apoiar o Samba e o projecto Viva ao Samba em segurança!
Este é um evento seguro, com lugares muito limitados e muitas surpresas!
Convidados para este espetáculo, Djodje e Teresinha Landeiro.

 

Saturday, 02 January 2021 17:22

Seja como for

A curta-metragem "Seja Como For" realizada por Catarina Romano foi selecionada para a Competição Internacional da 43ª edição do Festival Internacional da Curta-Metragem de Clermont-Ferrand, que decorrerá de 29 de janeiro a 6 de fevereiro de 2021, em França.

Esta será a primeira exibição internacional de "Seja Como For" que teve estreia em outubro último na 28.ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema. "Seja Como For" trata de uma mulher desempregada, que está fechada em casa há muito tempo, aparentemente enclausurada do lado de fora das possibilidades do seu tempo histórico. Ela vive ciclos de precariedade cada vez mais próximos, e que a encapsulam como a ondulação causada pela queda de uma pedra num lago, mas em sentido inverso: ondas que vêm ter com ela, repetindo-se, fechando-a.
Esta obra, produzida pelo AIM, Estúdios de Animação e distribuída pela Agência da Curta Metragem, é a segunda curta-metragem da realizadora que se estreou em 2016 com "A Casa Ou Máquina de Habitar".
Clermont-Ferrand é um dos mais importantes festivais da Europa, dedicado à curta-metragem. No que respeita à presença de profissionais da área, é o segundo maior festival da França, precedido apenas pelo Festival de Cannes. Na edição passada, foram registadas mais de 172,500 entradas de filmes e 3600 profissionais da área participaram no festival. Segundo a organização do evento, foram submetidas quase 7000 curtas-metragens e selecionadas apenas 77. "Seja Como For" é o único filme português na Competição Internacional.

Biografia
Catarina Romano estudou Cinema de Animação tradicional e de volumes no Centro de Imagem e Técnicas Narrativas da Fundação Calouste Gulbenkian, sob a orientação de Zepe e de Nuno Beato. Participou no Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística, no Curso de Realização de Cinema de Animação 3D dirigido pela escola SUPINFOCOM – tendo sido posteriormente seleccionada para continuar os estudos em Valenciennes, onde participou numa curta-metragem em 3D. Profissionalmente, colaborou como animadora em diversas curtas-metragens de autor e séries de animação. Realizou as curta-metragens de animação "A casa ou a máquina de habitar" e "Seja como for", ambas apoiadas pelo ICA.
Atualmente realiza a sua terceira curta-metragem

Tuesday, 08 December 2020 15:35

Não podes parar

É o mais recente tema de Malabá que surge no panorama do Hip Hop como uma mensagem de esperança para todos nós.

A homenagem a todas as mulheres que diariamente conjugam a parte profissional com a dedicação na construção do futuro de seus filhos foi o mote para a origem deste tema. Mostra assim a versatilidade do artista que, através das suas palavras transmite força e energia. "Não podes parar" é a caracterização sonora da vida de muitas mulheres nos dias de hoje!

Iniciou a sua carreira em 2005 com o grupo Da Gun através do lançamento de trabalhos como a Mixtape "R.A.P" (2008) (em colaboração com Dublle Z), a Mixtape "O 1º Caso - Condenados ao Sucesso" (2012) (em colaboração com Kosmo) e o álbum independente "O Sonho Português" em 2013. No seu projeto a solo, "Mais Velho Sem Juízo" (2016), Malabá posicionou-se rapidamente como um dos MC's que revolucionou o Hip Hop Português. O seu trabalho inspirador e o carisma contagiante fazem dele um dos maiores representantes do movimento Hip Hop em Portugal.

Conquista palcos, playlists e pessoas com o seu flow inigualável. A sua versatilidade sonora e a habilidade em dizer o que todos sentem, através de rimas embelezadas por metáforas carregadas de sentimento, fazem do artista um elemento cativador do grande público. Aliando a isto uma energia incomensurável em palco, garante uma mistura perfeita no que diz respeito a entretenimento e inspiração.

O seu percurso artístico conta com participações com Plutónio, Né Jah, Don Nuno, SP Deville, entre outros, assim como vários convites de entidades como a Liga Portuguesa Contra o Cancro, a Organização Juventude Sesimbra, a Ser Humano – Hip Hop por uma causa, APAV e o Sporting Clube de Portugal.

Atualmente, avizinham-se novos desafios, e "Não podes parar" é apenas uma nova fase que promete elevar o nome e o artista "Malabá" ao próximo nível, sempre com a garantia de qualidade e originalidade a que nos habituou.

Tuesday, 08 December 2020 14:59

Clarabóia e outras estórias

Uma parte das vendas da obra de poesia, de Carlos Frias de Carvalho, vai servir para apoiar o centro de acolhimento temporário Casa das Cores, em Lisboa, numa campanha que decorre até 18 de dezembro.

O escritor Carlos Frias de Carvalho associa-se ao projeto Casa das Cores, numa Campanha Especial de Natal, de Poesia Solidária destinada a apoiar a atividade do centro de acolhimento temporário para crianças em perigo. Até 18 de dezembro de 2020, 25% das vendas do livro de poesia “Clarabóia e outras estórias” revertem para a associação.
A obra “Clarabóia e outras estórias” faz parte do plano nacional de leitura, sendo recomendado para o 4.º ano de escolaridade como leitura autónoma. Dedicada ao filho do escritor, o livro reúne um conjunto de 21 poemas cuja temática é a descoberta da natureza e o maravilhar da infância com o meio bucólico envolvente, sendo cada verso retratado através de uma ilustração da artista plástica Fernanda Fragateiro.
“Em representação da Casa das Cores, agradeço, do fundo do coração, a generosidade com que o Carlos de Carvalho colocou o seu talento e a sua arte ao serviço da nossa Causa. Bem hajam todos que, connosco, colaborarem nesta iniciativa solidária!”, afirma Madalena Vasconcelos, Presidente da Casa das Cores.
Ao adquirir o livro “Clarabóia e outras estórias”esta a ajudar esta instituição de solidariedade social e a dar um novo folego às vidas das crianças que esta associação apadrinha.
Este livro pode ser adquirido diretamente na Casa das Cores (10h-18h), na Rua Gil Vicente, 32 A, R/C (Atelier), 1300-284 Lisboa, através do e-mail, geral@msv.pt ou do telefone 211 394 431. Os livros serão acompanhados de uma dedicatória do autor.

http://www.msv.pt/casa-das-cores/

Friday, 30 October 2020 10:05

Meu país já não existe

O jornalista Nicolau Santos sobe ao palco, levando a poesia e a música que o têm acompanhado ao longo da vida num concerto que terá lugar no dia 8 de novembro, pelas 19 horas, no Teatro São Luiz, em Lisboa.

Vai acontecer  um espetáculo em que se diz poesia sobre uma base musical jazzística da responsabilidade do Quarteto de Manuel Lourenço. Contará ainda com a participação da voz de Cláudia Franco e da Orquestra Filarmonia das Beiras, sob direção do maestro António Vassalo Lourenço.

O projeto *Poesia & Jazz*, nascido em 2006, tem unido estas duas formas de expressão, juntando o ritmo das palavras, a musicalidade e a originalidade da poesia aos sons do jazz e da música improvisada. Neste concerto com poesia, ouvem-se temas dos grandes mestres do jazz, como Miles Davis, Bill Evans, Chick Corea, Richard Galliano, António Carlos Jobim entre outros, e ainda inéditos de Manuel Lourenço, que se fundem com a poesia de Nicolau Santos e de grandes nomes da poesia portuguesa, como Mário Cesariny, Mário Henrique-Leiria, Jorge Sousa Braga, Reynaldo Ferreira, assim como de poetas africanos, como Ruy de Carvalho, José Eduardo Agualusa, Ernesto Lara Filho, e brasileiros, como Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Manoel Bandeira, entre outros.

 

Direcção Artística: Manuel Lourenço / Nicolau Santos
Direcção Musical: Manuel Lourenço
Voz declamada: Nicolau Santos
Músicos:
Manuel Lourenço - Sax Tenor, Soprano, Guitarra e Voz
Cláudia Franco - Voz cantada
Sérgio Rodrigues - Piano
Gonçalo Leonardo - Contrabaixo
Pedro Felgar - Bateria
Orquestra Filarmonia das Beiras
Maestro - António Vassalo Lourenço
Arranjos de Orquestra:
Sérgio Rodrigues
Tomás Pimentel
Simon Wadsworth
Fotografia:
Adriano Fagundes

Monday, 26 October 2020 12:26

Sala de espelhos

O Primeiro volume da obra completa de Urbano Bettencourt vai ser apresentado, na sexta-feira, dia 6 de novembro, pelas 18 horas, no Auditório Municipal Natália Correia, Fajã de Baixo, Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Seguindo-se a Com Navalhas e Navios, editado pela Companhia das Ilhas em 2019, que recolhe toda a sua poesia, este novo livro reúne um conjunto de ensaios sobre literatura açoriana e lançando ainda um breve olhar sobre outras literaturas insulares atlânticas, da Madeira, das Canárias e de Cabo Verde.

Dispostos em sequência cronológica, os ensaios perfazem um percurso que começa no século XIX e vem até alguns autores mais recentes, do século XXI, entre os considerados clássicos açorianos e os novos, já com um espaço delimitado no universo literário, estabelecendo ainda momentos fortes desse percurso e por articulação com os diferentes espaços insulares: o fim do século XIX na Horta, os anos 40-50 em Ponta Delgada e os anos 60 em Angra, numa delimitação muito aproximativa.

O trabalho de Urbano Bettencourt obedece a uma metodologia que combina a análise textual com a indagação das condições materiais que possibilitam a existência da literatura na sua dimensão institucional, isto é, tendo em conta os fatores que asseguram a circulação e a divulgação das obras, a sua valorização crítica e social, e trazendo assim um contributo de relevo para a história literária e cultural dos Açores.

Saturday, 26 September 2020 16:16

3º Festival gastronomia de bordo

O Festival Gastronomia de Bordo (FGB) arranca dia 2 de Outubro em Peniche. Como nos anos anteriores, parte desta cidade, ruma a Ílhavo e atraca na Murtosa. Os três Municípios estão ligados pela temática do mar e pelo que este representa nas suas histórias, associadas à pesca longínqua, costeira e lagunar.

Em Peniche, a criação da marca territorial em torno do Mar reflete não só uma aposta estratégica, como também a valorização de um passado histórico alicerçado nas atividades relacionadas com a pesca. A gastronomia constitui um património cultural que importa preservar e potenciar e para as comunidades da pesca, assume um papel importante para o desenvolvimento económico e atratividade local.

Este ano, o festival Gastronomia de Bordo em Peniche adaptou-se às novas circunstâncias e fica circunscrito à experimentação dos pratos nos restaurantes Xakra Beach Bar, Entre Peniche Tapas, Bar Ambassador, Restaurante O Pedro - Peniche, Restaurante Sardinha, Tables, Prainha Restaurant, O Minhoto e Wine Bar entre outros que assumem o compromisso de garantir que as receitas e pratos correspondem à sua origem, amarrada às épocas e às técnicas de confeção tradicional.

De dia 2 a 25 de Outubro, podemos encontrar o seguinte receituário nos restaurantes aderentes a esta iniciativa: Alfaquique (peixe-galo) com açorda de ovas, Arroz de sardinhas, Sopa de peixe, Caldeirada à moda de Peniche, Cavala salgada à moda de Peniche, Filetes de peixe-porco com arroz de berbigão, Lagosta suada à moda de Peniche, Polvo suado, Quelmes secos grelhados com batatas a murro, Raia de molhinho, Sequinho, entre outros.

Os Municípios de Ílhavo, Murtosa e de Peniche, integraram uma candidatura no âmbito da Programação Cultural em Rede que visa desenvolver um programa assente na valorização do património material e imaterial, através de iniciativas que incrementem o turismo cultural e contribuam para o aumento da competitividade regional.

Saturday, 26 September 2020 15:30

Salsa

A curta-metragem de Igor Dimitri foi selecionada para a 64ª edição do BFI London Film Festival, que se realizará entre os dias 7 e 18 de outubro na Inglaterra.

O filme integra a secção oficial de curtas-metragens do festival, no programa "This is the rhythm of my life" elaborado pelos programadores Nellie Alston, Aduke King, Philip Ilson e Elaine Wong. Estreado em Janeiro no último Festival de Roterdão, "Salsa" é a primeira curta-metragem do jovem realizador português Igor Dimitri. Produzido pela Videolotion em co-produção com a Cyparis, e com distribuição internacional da Agência da Curta Metragem, o filme retrata uma tarde num espaço de encontro, um salão de cabeleireiros dominicanos em Buenos Aires onde os moradores do bairro convivem.

"O meu trabalho tem consistido sobretudo na relação de noções como as de viagem, comunidade, distância, deriva e saudade. Neste filme propus-me a retratar um lugar na Argentina onde a música une os moradores do bairro onde morei, do reggaeton à música eletrónica moderna, e onde a dança é a manifestação da liberdade e da alegria de viver." diz o realizador "Desde o início, tive essa ideia clara de que queria fazer um musical. Penso que a performance nos permite narrar uma história por meio da linguagem corporal em vez de palavras, por isso, a performance também é uma forma de expandir o campo da não-ficção, não necessariamente através do documentário, mas mais através das misturas entre géneros."

Adaptando-se aos extraordinários desafios do ano, o “BFI London Film Festival”, vai exibir 50 estreias virtuais do Festival numa programação que oferece ao público a oportunidade de ver o melhor novo cinema de todo o mundo, incluindo as mais recentes ficções, documentários, animações e filmes clássicos restaurados de arquivos do mundo. Cada filme será apresentado com uma introdução ou perguntas e respostas, e o programa também incluirá uma série de trabalhos e eventos adicionais de acesso gratuito para o público do Reino Unido, incluindo: um programa internacional de curtas-metragens, Screen Talks com grandes cineastas e atores, salões e mesas redondas e uma novíssima Exposição Virtual de XR e Arte Imersiva.

Saturday, 26 September 2020 14:43

Stress de curt davis

 

Trata-se do primeiro tema de Curt Davis, um jovem músico português de ascendência cabo-verdiana composto pelo próprio e produzido por Ricardo Ferreira.

Um tema de R&B contemporâneo que versa sobre a vulnerabilidade, influenciado por experiências pessoais e relações fracassadas que definem a sonoridade do tema.
Primando pelo timbre inconfundível e flow cativante, Curt Davis inicia hoje uma jornada que promete ser de sucesso ao trazer o melhor do R&B e soul, numa altura em que as sonoridades urbanas se destacam cada vez mais no mercado musical nacional.

Curt Davis, músico e compositor, vem de uma família com tradição musical de raízes cabo-verdianas e tem como principal influência o universo do R&B, Soul e Hip-Hop.

Nascido em Lisboa, aos 5 anos mudou-se com a família para Albufeira onde passou a infância e adolescência.
O seu interesse pela música surgiu aos 12 anos quando começou a escrever as suas primeiras rimas e ingressou no conservatório de música de Albufeira tocando piano como instrumento durante 5 anos. Com uma breve passagem pela Alemanha para conclusão dos estudos universitários, Curt Davis regressa a Lisboa para explorar a vertente artística, apresentando-se no panorama musical nacional com o seu single de estreia Stress.

Wednesday, 23 September 2020 18:47

Numa natureza morta

ArDemente, a companhia de teatro viseense, estreia o espetáculo, no dia 24 de setembro, na Quinta da Cruz, no centro de arte contemporânea.

Neste espetáculo a mesa de refeições transforma-se num campo de batalha de uma família suspensa no tempo. "A semente para este espetáculo surgiu da vontade de explorar de que forma um grupo de pessoas que, aparentemente, se odeia, sobrevive a uma espécie de loop temporal do qual não consegue sair." conta-nos o encenador da peça, Gabriel Gomes. O texto é de três jovens atores viseenses, como Roberto Terra, Sofia Moura e Gabriel Gomes, igualmente intérpretes no espetáculo. A eles juntam-se os atores vindos de Lisboa, Inês Veloso e Henrique Bispo. Numa Natureza Morta é um retrato de família empoeirado, que decorre em torno de instalações cénicas surpreendentes do artista plástico Vítor Freitas e figurinos da autoria de Emanuel Santos.

"Não foi tarefa fácil repensar este espetáculo nesta nova realidade. Após a escrita, o processo criativo decorreu maioritariamente através de plataformas digitais como o Skype, o que nos dá um grande sentimento de gratidão e felicidade, apesar de uma lotação bastante reduzida, podermos acolher o público e dar a conhecer o produto final de um ano tão atípico", refere o ator Roberto Terra.

Após múltiplos reagendamentos devido à pandemia que enfrentamos, finalmente conseguem apresentar ao público com toda a segurança o resultado de longos meses de reflexão e experimentações, graças ao apoio da Fundação GDA, Viseu Cultura e Quinta da Cruz, no centro de arte contemporânea. Estará em cena de 24 a 28 de setembro e ainda conta com alguns lugares disponíveis, de reserva obrigatória. Todas as informações estão disponíveis na página de Facebook da companhia (facebook.com/grupoardemente).

FaLang translation system by Faboba

Podcast

 

 

 

 

Eventos